DOL Carajás
Edição do dia
Edição do dia
Leia a edição completa grátis
Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$
SE REVOLTOU

Vídeo: Procurador agride procuradora em surto de fúria

O caso aconteceu no interior de São Paulo. Procurador Demétrius Oliveira Macedo agrediu com socos e cotoveladas a procuradora do município após ter recebido processo disciplinar

quarta-feira, 22/06/2022, 11:07 - Atualizado em 22/06/2022, 11:03 - Autor: DOL Carajás com informações de Band Jornalismo

Google News

Toda a ação violenta foi registrada em vídeo por colega da repartição
Toda a ação violenta foi registrada em vídeo por colega da repartição | Reprodução

O discurso de combate a violência contra a mulher tem ganhado cada vez mais voz nos últimos anos principalmente com a implementação da Lei Maria da Pena. Entretanto, a violência contra a mulher não se limita apenas ao ambiente doméstico, no trabalho também a situação pode ocorrer, envolvendo assédio e até mesmo violência física. 

Um caso assim deixou surpresa a comunidade de uma cidade do interior de São Paulo.

Uma procuradora geral da cidade de Registro (SP) foi agredida por um procurador municipal depois que este se revoltou contra a abertura de um processo disciplinar contra ele. Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, foi agredida pelo também procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos. Em ação filmada por outra funcionária, ele desferiu uma série de socos quando a mulher estava caída. Colegas tentaram impedir as agressões, mas Macedo deu mais um soco no rosto de Gabriela.

O procurador municipal foi afastado de suas funções e teve os vencimentos suspensos.

 

Promotora Gabriela Samadello Monteiro de Barros ficou machucada após a ação violenta
Promotora Gabriela Samadello Monteiro de Barros ficou machucada após a ação violenta | Reprodução
 

Segundo o boletim de ocorrência, a agressão aconteceu na tarde da última segunda-feira (20). Macedo entrou na sala quando Gabriela conversava com outra funcionária que dizia que ele não estava bem. Depois, o homem deu uma cotovelada na vítima, que caiu e passou a receber vários socos. 

Duas mulheres tentaram contê-lo e afastar Gabriela do local. A procuradora se levantou e recebeu um soco no rosto desferido por Macedo. Ele só parou quando outros dois funcionários entraram na sala e conseguiram segurá-lo. 

Veja também!

Vídeo: Polícia prende suspeito de participar de execução

Polícia prende homem que estuprava bebê de 2 e filha de 15

Suspeitos de matarem oficial da PM morrem em troca de tiros

Ainda segundo o boletim de ocorrência, Macedo era alvo de um processo disciplinar interno por conta de sua conduta no ambiente de trabalho. 

Em nota, a Prefeitura de Registro afirmou: “A Prefeitura de Registro manifesta o mais absoluto e profundo repúdio aos brutais atos de violência realizados pelo Procurador Municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de Procuradora Geral do Município, fatos ocorridos na última segunda-feira (20/6). Que a vítima e sua família recebam toda nossa solidariedade, apoio e cada palavra de conforto e acolhimento”.

Veja o vídeo:

 

Procuradora é agredida com socos e chutes por colega após abertura de processo disciplinar. #BandNewsTV Band Jornalismo
 

“A administração municipal está tomando as providências necessárias e já determinou de imediato que o agressor seja suspenso, nos termos do art. 179, c/c inc. III do art. 180, ambos da Lei Complementar nº 034/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Registro, com prejuízo de seus vencimentos, a partir de 21 de junho. Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres”.

A seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Registro disse que vai mover ação contra o procurador municipal na Comissão de Ética e Disciplina.

O procurador Demétrius Oliveira, ao depor na delegacia após agredir a colega Gabriela Samadello Monteiro, disse que sofria “assédio moral” no trabalho por parte da procuradora. Na sequência, ele foi liberado por não haver “situação de flagrante”, segundo o delegado do caso.


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)