DOL Carajás
Notícias / Polícia
MORTO A TIROS

Policial penal de Marabá é preso por matar comerciante

Além dele, outros três homens foram presos acusados de envolvimento no crime

quarta-feira, 04/05/2022, 18:45 - Atualizado em 04/05/2022, 19:25 - Autor: Alessandra Gonçalves

Google News

Além do policial penal, outras três pessoas foram presas
Além do policial penal, outras três pessoas foram presas | James Oliveira/ RBATV

Um policial penal de Marabá e mais três homens foram presos na tarde desta quarta-feira (4), durante a Operação Tocaia desencadeada pelas Polícias Civis do Pará e Tocantins. Os quatro são acusados de matar um comerciante no sudeste do Pará. 

Os mandados de prisão temporárias foram expedidos pela Comarca de Xambioá (TO). Os acusados são: José Francisco França, policial penal lotado na Casa Penal de Marabá; Vanilson da Silva Santos; Elienton da Silva Napomucendo e Lucenildo Adriano de Lima.

 

Acusados estão agora à disposição da justiça
Acusados estão agora à disposição da justiça | James Oliveira / RBATV
 

De acordo com o superintendente de Polícia Civil, delegado Vinícius Cardoso, o comerciante Antônio Renato da Silva, de 37 anos, se deslocava de São Geraldo do Araguaia (PA) com destino a Araguaína (TO), quando desapareceu no último dia 18 de março.

 

Comerciante Antônio Renato foi morto a tiros
Comerciante Antônio Renato foi morto a tiros | Reprodução
  

O corpo da vítima foi localizado no dia 21 de março, às margens da TO-164, entre as cidades de Xambioá e Araguanã, no estado do Tocantins. A vítima foi morta a tiros.

Após colherem imagens do itinerário dos acusados e outras provas, foi solicitada a prisão de Vanilson e Lucenildo, presos em São Geraldo do Araguaia e de Elielton e José Francisco, capturados em Marabá. 

 

Vanilson da Silva foi preso em São Geraldo e seria o mandante do crime
Vanilson da Silva foi preso em São Geraldo e seria o mandante do crime | Reprodução
 

Além dos mandados de prisão, também foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, sendo três em Marabá e dois em São Geraldo do Araguaia, onde foram localizados uma espingarda calibre 28 com uma munição de mesmo calibre intacta, além de outros objetos apreendidos no interesse da investigação.

Veja também:

Jovem desaparecido teria sido decapitado por facção 

Corpos de caçadores são velados em Novo Repartimento

Investigação 

A investigação ocorreu de forma conjunta entre as Polícias Civis do estado do Pará e do Tocantins, que passaram a compartilhar informações e diligenciar em conjunto a fim de apurar o homicídio qualificado.

“Três dias após o crime a gente descobriu que o crime em si foi praticado no estado do Tocantins, local onde o corpo estava às margens da rodovia estadual, em Xambioá”, informou o delegado Edésio Ribeiro, de São Geraldo do Araguaia.

Diante das informações, os policiais entraram em contato com o delegado de Xambioá. Várias diligências investigativas foram realizadas, onde chegou-se aos investigados que foram presos.

Mandante 

O delegado Márcio Lopes, da Polícia Civil do Tocantins, afirmou que durante esses dois meses de investigação foram colhidas diversas evidências de participação dos indivíduos que foram presos. 

“Em relação a participação dos envolvidos, nós identificamos quem contratou os executores, o indivíduo que efetuou os disparos, o motorista do veículo utilizado para prática do crime”, afirmou o delegado.

Sobre a motivação, ele afirma que ainda é obscura e que a polícia tem um prazo de 30 dias para concluir a investigação e apontar a motivação.




 


Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS