Diário Online
FEITO CRIANÇA

Andro Baudelaire estreia como autor de livro infantil

Cantor e compositor se lança na nova jornada com “Urso Polar Astronauta”, criado em conjunto com músicas inéditas que ajudam a explicar a história

segunda-feira, 15/03/2021, 23:54 - Atualizado em 15/03/2021, 23:54 - Autor: Aline Rodrigues/Diário do Pará


Imagem ilustrativa da notícia: Andro
Baudelaire estreia como autor de livro infantil
| Divulgação

O cantor e compositor paraense Andro Baudelaire vive um processo criativo intenso nessa pandemia. Nesse turbilhão de criação, já lançou singles, clipes, produziu trabalhos musicais em parceria, e agora investe em um novo universo, o da literatura infantil.

“Urso Polar Astronauta”, um livro voltado para o público infantil, é o projeto que o artista deve lançar nos próximos dias, e conta a história de um urso que sai da terra porque quebra o coração e vai para o espaço em busca de respostas.

“O livro vai ser interativo, com música. Vai ter um QR code que vai levar os leitores direto para o Spotify, para ouvir as músicas que correspondem a cada capítulo do livro, para terem uma experiência musical durante a leitura. O livro está sendo lustrado pelo meu parceiro Filipe Anjo, lá de Natal. Teve apoio da Lei Aldir Blanc e também da faculdade Esmac”, explica Andro.

Ele compôs um álbum especialmente para o projeto. “Vai ter coisa nas músicas que vai explicar coisa do livro e coisa do livro que vai explicar coisa da música”, destaca Andro na divulgação do livro em seu Instagram, onde também avisa que novas histórias para os pequenos estão por vir. “É minha primeira aventura no universo literário e já estou arquitetando outras porque estou apaixonado pela minha própria criação.”

NOVAS IDEIAS

Além do livro infantil, outro projeto que está sendo tocado pelo artista é “Tombados”, que tem como objetivo “tombar” lugares especiais que podem não ser tão conhecidos para o público em geral, e divulgar a histórias desses espaços, com fotos e ilustrações animadas dos lugares. Cada um ganharia uma música, e por último planeja uma exposição virtual mostrando cada lugar e sua história. Mas o que conta nesse tombamento é a subjetividade de Andro.

“O objetivo do projeto é transformar essas individualidades em ‘pontos turísticos’ para outras pessoas também. Contando um pouco da história de cada lugar e às vezes por pura estética. Eu amo simplesmente passar pela frente de alguns dos lugares que estou tentando ‘tombar’ (risos). Um exemplo é a casa oblíqua que fica ali na Almirante Tamandaré. É uma casa torta em frente ao canal. É surreal. Causa espanto, curiosidade e está bem ali para todo mundo ver. Essa vai ser a faixa um do disco que vai ser lançado no segundo semestre. Mas o single ‘Casa Obliqua’ sai ainda nesse semestre, acredito”, diz o artista, que lançou recentemente um single novo com o parceiro Rafael Guerreiro, intitulado “Havaiana da América do Sul”, o primeiro de dois que ele quer lançar antes do disco novo.

“O segundo vai ser em parceria com o artista Kambo, que faz, na minha opinião, uma das obras mais lindas da cidade. Me inspirei em uma obra dele e fiz uma música diferentona, com pegada de batuques indígenas, e pedi para ele uma arte e ele topou. Ainda disse que a música trouxe um pouco da sensação que era usar o veneno do sapo. O disco já está pronto. Vou só gravar um videoclipe e aí vou programar o lançamento”, diz ele.

E para quem acha que as novidades param por aí, Andro ainda está à frente do documentário “A Nova Guitarrada”, que pretende mostrar como a guitarrada vem se transformando. O trabalho está bem no início, em fase das primeiras gravações.

CAMINHOS DA GUITARRADA EM DOCUMENTÁRIO

 “Comecei com meus três primeiros entrevistados: Pio Lobato, Bruno Rabelo e Léo Chermont. Ainda vou entrevistar mais gente para falar um pouco sobre o passado, presente e futuro da guitarrada, que é um estilo nosso que simplesmente abracei. O grande papo do doc é falar como a guitarrada está se transformando e isso é lindo demais. Faço a comparação com um samba de Noel Rosa do século passado e como o samba é inserido em tantas bandas modernas tipo Los Hermanos. Vejo a guitarrada dessa forma. Ela virando algo incrível que vai perpetuar”, pontua Andro. 

Por enquanto todos os novos projetos estão sendo lançados de forma on-line, por conta da pandemia, mas o artista espera poder fazer todos os lançamentos ainda de forma presencial. 

“A receptividade tem sido ótima. Fico muito feliz, todos parecem gostar das coisas que faço. Recebo muito apoio. Me sinto realizado e com força para continuar fazendo mais. Digamos que vai ter mais livro infantil, mais clipes e mais música”, conta ele, para quem a arte se sobrepõe às dúvidas que podem surgir com as dificuldades do caminho. 

“Eu desisto várias noites de tudo. Mas a gente sempre tem o outro dia para acordar e começar tudo de novo. Não tem problema ficar triste e desacreditado. São apenas momentos. Porque logo mais vêm momentos de felicidade e otimismo. Aí, quando esses chegam é hora de botar a mão na massa. Espero que o público goste das coisas que estou fazendo. Faço do fundo do coração. Não adianta guardar o que a gente sabe, entende? Temos que compartilhar. Porque é um bate-volta de conhecimento e entretenimento que move a gente. A vida é essa. Uma grande troca”, filosofa. 

SAIBA MAIS 

Instagram @androbaudelaire

 

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS