Diário Online
ARTES VISUAIS

Centur vira imensa galeria de arte com Semana do Muralismo

O evento é aberto ao público e começa nesta terça-feira (22). A programação conta com artes visuais, música, comércio criativo, bate-papo e muralismo.

terça-feira, 22/03/2022, 16:23 - Atualizado em 22/03/2022, 17:41 - Autor: Com informações da Ascom do Centur

Google News

Semana de Arte e Muralismo começa nesta terça (22) e encerra dia 29.
Semana de Arte e Muralismo começa nesta terça (22) e encerra dia 29. | Thiago Pelaes/Marahu Filmes e Ascom FCP

As mais variadas formas de artes contemporâneas podem usar qualquer suporte ou plataforma para a expressão dos artistas, incluindo os espaços urbanos. Em diversas cidades do mundo, edifícios, muros e onde for possível pintar e desenhar têm se transformado em grandes telas feitas por craques das artes gráficas.

A partir desta terça-feira (22), Belém vive essa experiência com a Semana de Arte e Muralismo, que traz debates sociais com programação cultural e intervenção visual em um velho conhecido dos apreciadores de arte e cultura na capital paraense, o prédio da Fundação Cultural do Pará (FCP), conhecido como Centur, em Belém.

 

Fachada do Centur virou um grande painel feito coletivamente por artistas convidados para participar da Semana.
Fachada do Centur virou um grande painel feito coletivamente por artistas convidados para participar da Semana. | Wellyngton Coelho (ASCOM FCP)
 

Mostrar o poder das intervenções artísticas como instrumento de transformação do espaço público. Esse é o propósito da Semana de Arte e Muralismo, que ocorre no Centur, de 22 a 29 de março. O evento terá uma programação plural com artes visuais, música, comércio criativo, bate-papo e muralismo. A realização é da Galeria Azimute em parceria com a Namazônia, Fundação Cultural do Estado do Pará e Governo do Pará.

Marcando a ocasião, uma transformação visual acontecerá no local e promete chamar a atenção do público. A sede da FCP vai passar por uma metamorfose: a arte de 16 artistas ocupará as empenas verticais e os muros laterais do espaço com cores e técnicas diversas de artes visuais, mudando completamente a sua fachada com a obra de arte coletiva que terá quase 1500m2 de pintura. 

As cidades podem ganhar novos lugares através da arte

A ideia da intervenção coletiva na fachada da FCP é apresentar a arte colaborativa como ferramenta de transformação no entorno do prédio da Fundação e também no seu interior. Dessa maneira, são colocados em prática estudos baseados no placemaking (conceito que, em sua tradução literal, significa “produção de lugares”), uma estratégia para estreitar as conexões entre as pessoas e determinados lugares.

Dentre os artistas que participam da intervenção externa do Muralismo, assinam as empenas: Carla Cris Duncan, Michelle Cunha, Dedeh Farias, Santo. Nos muros laterais, estarão artes de Lenu, Karina Miranda, Igor Oliveira, Mina Ribeirinha, Bonikta, Thays Chaves, Bárbara Savannah, Graf, Thay Petit, Cely Feliz, Sintético Abstrato e seu convidado Monk.

Para Almir Trindade, um dos realizadores do evento através da Galeria Azimute, “a repercussão que pode vir da transformação e otimização de um espaço público como o prédio da FCP está em total harmonia com a mensagem principal da Semana de Arte e Muralismo: intervenções artísticas podem ser um excelente caminho para solucionar questões sociais de onde vivemos”, observa. 

Ele ainda acrescenta que é muito significativo que isso aconteça na Fundação Cultural do Estado do Pará (FCP), “um território de grande relevância para o estado por produzir e incentivar a cultura”, diz. 

Jade Jares, que é curadora e realizadora do evento, explica que a iniciativa é muito sobre estimular e inspirar a conexão das pessoas com a cidade. “A Semana de Arte e Muralismo vem para aplicar esses fundamentos do placemaking em Belém, com o objetivo de intervir na cidade junto com outros artistas de forma colaborativa, visando a transformação do espaço e seu entorno em locais convidativos e de maior interação com a sociedade. É algo que pode trazer melhorias para qualquer espaço - seja ele uma rua, um bairro ou uma escola, por exemplo”, detalhou. 

Onze artistas visuais mostram seus trabalhos na Galeria Benedito Nunes

Além do envelopamento artístico na fachada e nas laterais do prédio, a parte interna do espaço também será ocupada: 11 artistas visuais paraenses (praticantes de fotografia, colagem, artes gráficas e outros) participarão de uma exposição coletiva na Galeria Benedito Nunes. São eles: Ana Paula Pina, Beatriz Paiva, Bianca Marinho, Caio Alvex, Carolynne Matos, Duda Santana, Glenda Beatriz Beatriz, Ian Santos, Luiza Cavalcante, PV Dias e Tuyuka Lara.

Além de promover um grande momento de inspiração e reflexão urbana, a Semana de Arte e Muralismo também dá vários motivos para o público conferir a iniciativa de perto. A programação traz bate-papos com os especialistas em urbanismo colaborativo do Lab da Cidade, mas também tem vários atos de muralismo, fotografia, arte digital, colagem, audiovisual, design e música.

“Essa diversidade na programação oferecida ao público vem do nosso intuito de tratar a arte como um instrumento transformador, impulsionar isso dentro do cenário da Fundação através da ocupação da maioria dos espaços oferecidos pela casa com a maior quantidade de vertentes artísticas possíveis se complementando e tornando essa iniciativa ainda mais interessante para as pessoas”, comenta Jade Jares.

Confira a programação completa no Intagram do evento: 

SERVIÇO: SEMANA DE ARTE E MURALISMO

Local: Fundação Cultural do Estado do Pará (Av. Gentil Bittencourt, 650)

Data: de 22 a 29 de março

Entrada franca

Realização: Galeria Azimute, Namazônia, Fundação Cultural do Estado do Pará e Governo do Pará

Mais informações em: https://www.instagram.com/semanadearteemuralismo/

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS