Diário Online
ÍCONE DO CINEMA

Ator Alain Delon explica opção por suicídio assistido

Em entrevista, o veterano dos cinemas contou que já tem seu testamento pronto, com a partilha de sua herança definida.

segunda-feira, 21/03/2022, 15:54 - Atualizado em 21/03/2022, 15:55 - Autor: Com informações O Globo

Google News

Alain Delon pediu ao filho para organizar todo o processo e acompanhá-lo em seus últimos momentos de vida.
Alain Delon pediu ao filho para organizar todo o processo e acompanhá-lo em seus últimos momentos de vida. | EPA / Ansa - Brasil

O ator francês Alain Delon, de 86 anos, surpreendeu os fãs e gerou polêmica essa semana, ao explicar em seu perfil oficial no Instagram sobre a sua decisão de morrer através de um suicídio assistido. Na publicação, ele conta os verdadeiros motivos que o levaram para essa decisão.

"Tomei minha decisão faz tempo, acredito que minha vida foi bela mas também difícil", escreveu ele na rede social.

Vale lembrar que o suicídio assistido é permitido na Suíça desde 1942, desde que os motivos não sejam egoístas. Esse tipo de procedimento é diferente da eutanásia, que não é autorizada no país. A principal diferença entre as técnicas é quem realiza o ato final.

Delon vive na Suíça, aproveitou a postagem para compartilhar suas impressões sobre a idade. "Nunca gostei de envelhecer, todas essas dores e desafios que deve enfrentar no cotidiano me deixam imóvel diante de tudo."

Depois de sofrer um duplo AVC em 2019, o ator vem se recuperando aos poucos e já se sente muito melhor, embora tenha que andar de bengala.

"Envelhecer é uma merda!", disse o ator pouco antes de sua hospitalização, três anos atrás. "Você não pode fazer nada sobre isso. Você perde o rosto, perde a visão. Você levanta e, caramba, seu tornozelo dói”, reclamou o ator.

Veja também:


A declaração veio um dia após a imprensa revelar em primeira mão um trecho da autobiografia do filho de Delon, Anthony. Segundo o livro, a lenda do cinema pediu ao filho para organizar todo o processo e acompanhá-lo em seus últimos momentos de vida.

Em entrevistas à revista francesa Le Point, o veterano dos cinemas já havia afirmado que não hesitaria em recorrer à eutanásia se necessário.

“Sou a favor [da eutanásia]. Primeiro porque moro na Suíça, onde a eutanásia é legal, e também porque acho que é a coisa mais lógica e natural a se fazer", disse o artista em entrevista a um canal de televisão local. "A partir de uma certa idade, de um certo momento, a pessoa tem o direito de sair tranquilamente, sem passar por hospitais, injeções e o resto...", declarou Alain Delon. Na mesma entrevista, o ator contou que já tem seu testamento pronto, com a partilha de sua herança definida.

Delon estrelou 26 filmes em 60 anos de trajetória – ele encerrou sua carreira em 2017, quando tinha 81 anos. A fama internacional veio em 1960, ano de lançamento de “O sol por testemunha” e “Rocco e seus irmãos”. Ícone do cinema europeu, ele é considerado um dos maiores atores franceses de todos os tempos.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS