Diário Online
VÍCIO EM DROGAS

"Cabeção" inicia tratamento para tratar vício em drogas

Sérgio Hondjakoff, que atravessa uma fase difícil, tem recebido apoio de amigos e atores, como Bruno Gagliasso, Kayky Brito e Rafael Ilha, que o incentivaram a iniciar um tratamento para se livrar dos vícios

sexta-feira, 10/06/2022, 10:52 - Atualizado em 10/06/2022, 10:49 - Autor: Com informações observatorio dos famosos

Google News

Sérgio Hondjakoff, que atravessa uma fase difícil, tem recebido apoio de amigos de longas datas
Sérgio Hondjakoff, que atravessa uma fase difícil, tem recebido apoio de amigos de longas datas | ( Reprodução Instagram )

Nessa semana, viralizou um vídeo nas redes sociais, em que Sérgio Hondjakoff, que ficou muito conhecido por interpretar o personagem Cabeção, em ‘Malhação’, apareceu alterado em uma live realizada no Instagram. Nas imagens, o ator chegou a ameaçar matar seu próprio pai com um bastão.

 “Pai, se você não me der mil reais eu vou ser obrigado a te matar, né? Você prefere que você me dê mil reais ou que eu te mate? Você é obrigado a me dar mil reais”, disse ele, aos gritos.

No entanto, Sérgio Hondjakoff, que atravessa uma fase difícil, tem recebido apoio de amigos e atores, como Bruno Gagliasso, Kayky Brito e Rafael Ilha, que o incentivaram a iniciar um tratamento para se livrar dos vícios.

Pais revelam que Sérgio Hondjakoff está em surto há 6 dias

Vídeo: Sérgio Hondjakoff ameaça matar o pai em abstinência

Segundo a reportagem do jornalista Cadu Safner, do jornal Metrópoles, o ator já está sob os cuidados do terapeuta Sandro Barros, indicado pelos famosos que ajudaram o ator. O profissional disse que. “Falei com ele e como terapeuta, eu entendi suas questões”, contou

Sandro ainda destacou que  foi bem recebido porque foi indicado. "Conheço o Kayky Brito tem mais de 20 anos, sou amigo do Bruno e também teve o Rafael Ilha. O Sérgio estava disposto a conversar. Foram essas três pessoas que fizeram com que ele me atendesse”, destacou.

Como será realizado o tratamento do ator?

O terapeuta explicou: “O meu consultório é  o cotidiano. O trabalho de acompanhante terapêutico não dá para ser feito on-line. O que eu faço é levar para passear, fazer um esporte, mas cada caso é um caso". Segundo ele, quando se fala de comportamento humano, é um cronograma diferente para cada um. "Tem paciente que quer correr na praia, tem aquele que quer andar de skate, jogar futevôlei.”, detalhou.

“E será assim com Serginho. Vou descobrir o que ele gosta de fazer, criar um cronograma que ele goste de praticar, mas sobretudo, eu preciso trabalhar o três pilares: alimentação, sono e atividade física. Quem está nas drogas não come direito, não dorme direito e não faz esporte. O sono tem função reparadora, alimentação também, precisa comer no horário e fazer atividade física”, explicou Sandro.

Vale ressaltar que no passado, o profissional Sandro Barros também enfrentou uma batalha contra o vício em drogas por mais de 20 anos. Ele chegou a ter três overdoses e uma tentativa de suicídio. 

“Eu tenho um tripé: a espiritualidade desenvolvida, técnicas de cursos e treinamentos, tudo que eu estudei e me preparei, a expertise da minha vivência, pois eu passei por isso. Como eu já passei por isso, as pessoas me dão autoridade no assunto”, ressaltou o terapeuta.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS