Diário Online
VEJA ENTREVISTA!

Giovanna Ewbank revela tudo sobre ataque racista em Portugal

Atores se pronunciaram sobre o episódio traumático envolvendo os filhos.

segunda-feira, 01/08/2022, 09:02 - Atualizado em 01/08/2022, 09:37 - Autor: Com informações do Fantástico

Google News

Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso falaram sobre o caso de racismo envolvendo os filhos.
Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso falaram sobre o caso de racismo envolvendo os filhos. | Reprodução

Títi e Bless, filhos dos atores Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, foram vítimas de um ataque racista em um restaurante em uma praia de Portugal.  A agressora, uma mulher branca e que também ofendeu outros clientes, chegou a ser detida, mas já foi liberada. O caso gerou revolta e indignação. 

Em entrevista ao Fantástico, no último domingo (31), Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso falaram revelaram tudo o que aconteceu sobre o episódio traumático.

Ewbank cospe em racista que atacou seus filhos; veja o vídeo

De acordo com Bruno, as crianças estavam brincando na praia, quando uma delas subiu para o restaurante e contou o que havia acontecido.  “Portugal não é o lugar para vocês, vão embora daqui”, contou o ator, reproduzindo o que a agressora teria dito para as crianças. 

Em vídeos que viralizaram nas redes sociais, Giovanna aparece enfrentando a mulher. "Acho que ela nunca esperava que uma mulher branca fosse combatê-la como eu fui, daquela maneira. Eu sei que eu, como mulher branca, indo lá confrontá-la, a minha fala vai ser validada. Eu não vou sair com a louca, a raivosa, como acontece com tantas outras mães pretas, que são leoas todos os dias, assim como eu fui nesse episódio", relatou a atriz. 

Giovanna disse ainda, que "hoje eu sou uma mulher muito consciente dos meus privilégios, eu sou uma mulher que está sempre rodeada de outras mulheres pretas, aprendendo diariamente. Vou fazer jus ao privilégio branco e vou combater de frente".

Racista detida por atacar filhos de Giovanna Ewbank é solta

Por nota, a direção do restaurante repudiou a conduta racista da mulher e se colocou à disposição para fornecer as imagens gravadas pelas câmeras de segurança. E o consulado brasileiro, também por nota, ofereceu assistência jurídica.

A mulher foi conduzida para uma delegacia da Guarda Nacional Republicana, bem perto da praia onde Bruno e Giovanna estavam com os filhos. Ela prestou depoimento, foi identificada e depois liberada. Agora, o casal tem até seis meses para apresentar uma queixa crime formal às autoridades portuguesas.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS