Esporte / Esporte Pará
Esporte Pará

Um remista perto do adeus

domingo, 25/11/2012, 06:39 - Atualizado em 25/11/2012, 06:39 - Autor:


Grande Benemérito azulino de longa ficha de serviços prestados ao Clube do Remo desde 1964. Ronaldo Passarinho, 73 anos, prepara sua retirada de cena dos bastidores azulinos. Ele já havia informado que não trabalharia novamente no Departamento Jurídico do clube. Agora, no entanto, ele apresenta uma separação ainda mais radical. “Vou apenas terminar o meu mandato e me afastarei de vez do clube” afirma. Em 48 anos trabalhando dentro do clube do Remo, Passarinho afirma já ter feito de tudo pelo clube. “Só não fui presidente do clube. Porque não quis” lembra.


Ronaldo se mostra desapontado com as condições em que vem desenvolvendo seu trabalho na área jurídica do clube. “Por um período de uns 15 dias eu fui apresentado aos contratos de atletas e treinadores com quem o clube negociava. Depois esses contratos nunca mais passaram pelo nosso crivo” diz o diretor jurídico, citando que contratos de outras espécies, como convênios e patrocínios, nunca foram repassados ao departamento jurídico. “Acho que somos o único departamento jurídico do mundo onde isso acontece” lamenta.


Ronaldo, apesar da idade avançada e alguns problemas de saúde segue dando expediente todos os dias entre 16 e 21h na sede do clube. “Minha sala é do lado da sala do presidente, passamos o dia todo por lá e eu fico sabendo das contratações do clube quando chego em casa, através da imprensa! Esses anúncios de contratação de técnico e jogadores, por exemplo. Não nos procuraram em momento algum! Não tem cabimento isso” afirma.


Ronaldo avaliza que não aceita a ideia de abandonar um cargo antes da hora, mas que seu afastamento será total a partir do momento em que o seu mandato acabar. “Quando entregar o cargo, será de vez. Sou um homem que sabe se afastar das coisas, não vou alongar essa despedida.” afirma.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS