Diário Online
Notícias / Notícias Brasil
R$ 5 MILHÕES EM INDENIZAÇÃO

Bolsonaro é processado por fala racista sobre "black power"

Ação diz que os atos praticados pelo presidente reforçam a "discriminação e intolerância contra pessoas negras"

sexta-feira, 23/07/2021, 19:01 - Atualizado em 23/07/2021, 19:01 - Autor: Com Informações IG


Presidente Bolsonaro
Presidente Bolsonaro | Jose Cruz/ Agencia Brasil

Reconhecido pela postura anticientífica e negacionismo climático e pela defesa da ditadura militar no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se opõe veementemente à legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Ao longo do seu mandato, o presidente colecionou polêmicas com declarações consideradas homofóbicas, misóginas e sexistas. 

Algumas dessas polêmicas, pode acabar mal para o chefe de Estado. Isso porque, o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU) entraram com uma ação civil pública contra a União e o presidente, por prática de racismo .

A ação ocorreu após Bolsonaro fazer  comentários racista ao cabelo "black power" de um apoiador negro . Durante uma conversa do presidente com simpatizantes na saída do Palácio do Alvorada, ocorrida no dia 8 de julho, ele se referiu ao cabelo do eleitor, identificado como Maicon Sullivan, como um "criador de barata".

"Como está a criação de barata aí? Olha o criador de barata aqui", afirmou Bolsonaro, na ocasião, rindo e apontando para Sullivan. "Você não pode tomar ivermectina que vai matar seus piolhos".

VEJA TAMBÉM!


De acordo com a ação, os atos praticados pelo presidente reforçam "estereótipos raciais negativos e caracterizam discriminação e intolerância contra pessoas negras". 

Após as declarações, Bolsonaro convidou o jovem para sua live semanal e disse que tudo se tratava de uma brincadeira. Na transmissão, o rapaz negou que tenha se ofendido pelo comentário do presidente. 

Na ação, MPF pede para que seja retirada das redes sociais de Bolsonaro e da rede oficial da Presidência da República. Pede também a condenação do presidente à publicação de uma retratação na grande imprensa. Além disso, a ação prevê o pagamento de indenização por dano moral coletivo, no valor mínimo de R$ 5 milhões.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS