plus
plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Edição do Dia
Previsão do Tempo 33°
cotação atual R$


home
"METAM SUAS DECLARAÇÕES ONDE COUBEREM"

Presidente de Assembleia Venezuelana rebate crítica a Maduro

Com a proximidade das eleições venezuelanas, alguns líderes da América latina geraram polêmica ao criticar o processo eleitoral do País.

twitter Google News
Imagem ilustrativa da notícia Presidente de Assembleia Venezuelana rebate crítica a Maduro camera Jorge Rodríguez é um dos apoiadores da campanha de Nicólas Maduro. | (Reprodução)

Um dos países mais importantes da América do Sul, a Venezuela, poderá ter um novo líder em breve. Porém, o processo eleitoral do país tem gerado duras críticas entre os presidentes da América Latina.

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Jorge Rodríguez, não se calou diante das recentes críticas de líderes latino-americanos sobre o processo eleitoral venezuelano, agendado para 28 de julho, no qual o presidente Nicolás Maduro busca seu terceiro mandato. Em uma resposta franca, Rodríguez direcionou suas palavras a figuras proeminentes como o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente colombiano Gustavo Petro e o ex-presidente uruguaio José Mujica.

CONTEÚDOS RELACIONADOS:

"Desconhecimento? Ignorância? Medo? Não nos envolvemos nos negócios de ninguém. Metam suas opiniões onde elas couberem", declarou Rodríguez em um comunicado compartilhado em suas redes sociais. Ele também rebateu críticas sobre a incapacidade de candidatos da oposição registrarem suas candidaturas a tempo.

"Souberam que 100% dos partidos credenciados na Comissão Nacional Eleitoral registraram algum dos 13 candidatos, de todo o espectro político, que concorrem à Presidência da Venezuela?", questionou o aliado de Maduro.

Quer mais notícias do mundo? Acesse nosso canal no WhatsApp

Recentemente, em 28 de março, Lula classificou como "grave" o fato de Corina Yoris não ter conseguido registrar sua candidatura à Presidência da Venezuela. Yoris, apoiada por María Corina Machado, foi impedida de concorrer devido à sua inabilitação para cargos públicos por 15 anos. Em resposta, a Plataforma Unitária Democrática indicou "provisoriamente" González Urrutia como candidato, citando a impossibilidade de registrar a candidatura originalmente eleita.

O Ministério das Relações Exteriores brasileiro, em 26 de março, expressou "expectativa e preocupação" com o processo eleitoral na Venezuela, destacando o impedimento à candidatura de Yoris como uma questão não esclarecida oficialmente até então.

O chanceler venezuelano, Yvan Gil, prontamente respondeu, classificando o comunicado brasileiro como "cinzento e intervencionista", sugerindo influência dos Estados Unidos. Gil afirmou que o comunicado revela um "profundo desconhecimento e ignorância sobre a realidade política na Venezuela".

Além disso, a chancelaria colombiana manifestou preocupação com os obstáculos enfrentados por certas candidaturas na Venezuela, apontando possíveis impactos na confiança de alguns setores da comunidade internacional.

VEM SEGUIR OS CANAIS DO DOL!

Seja sempre o primeiro a ficar bem informado, entre no nosso canal de notícias no WhatsApp e Telegram. Para mais informações sobre os canais do WhatsApp e seguir outros canais do DOL. Acesse: dol.com.br/n/828815.

tags

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

    Mais em Mundo Notícias

    Leia mais notícias de Mundo Notícias. Clique aqui!

    Últimas Notícias