plus
plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Edição do Dia
Previsão do Tempo 32°
cotação atual R$


home
FEITO HISTÓRICO

Mexicanos elegem primeira mulher na presidência do país

Mais de 100 milhões de mexicanos se preparam para eleger a primeira mulher a assumir o gabinete da presidência. País é marcado pela insegurança em meio a onda de violência crescente.

twitter Google News
Imagem ilustrativa da notícia Mexicanos elegem primeira mulher na presidência do país camera Claudia Sheinbaum e Xóchitl Gálvez, respectivamente. Ambas disputam a presidência do México neste domingo (02). | Foto: EFE/ José Méndez/ Isaac Esquivel/ Mario Guzmán/Archivo

O México se prepara para escolher neste domingo (02) quem será a primeira mulher a assumir a presidência do país. A disputa acirrada entre as candidatas, Claudia Sheinbaum, ex- prefeita da Capital e a senadora indígena Xóchitl Gálvez.

As eleições presidenciais de 2014 trazem um feito histórico nas urnas do país antes mesmo da escolha dos 100 milhões de eleitores, já que é a primeira vez que a figura feminina ocupa o espaço de representação no regime político democrático como presidente da nação.

Quem for eleita, ocupará o gabinete presidencial do Palácio Nacional, no Zócalo, coração da "Ciudad de México". Além da disputa pela chefia do estado, também estão na concorrência 20 mil cargos públicos, incluindo o Congresso e nove dos 32 governantes, além de prefeitos.

Os institutos de pesquisa mexicanos mostram à frente a vitória de Claudia Sheinbaum. A candidata progressista de 61 anos faz parte do Partido Morena, o mesmo do atual presidente do país, Andrés Manuel López Obrador, de espectro político centro-esquerda e governante do país desde 2018.

Quer mais notícias sobre Mundo? Acesse nosso canal no WhatsApp

Cenário de violência e incertezas

Apesar do importante dia para a escolha política do país, o México adentra as eleições de 2024 mergulhado em uma crise de violência que se apoia em rastros de medo e insegurança.

O país tem um vasto contexto histórico, fruto de raízes profundas da Revolução mexicana de 1910 e segue sendo dominado pela violência dos cartéis de drogas que dominam extensas regiões e já custou a vida de pelo menos 30 candidatos

Na última quarta-feira, José Alfredo Cabrera Barrientos, 38, foi assassinado em plena luz do dia, durante um comício. Ele foi 24º candidato a ser executado desde o início da campanha, em setembro do ano passado. No sábado (01), autoridades suspenderam as eleições gerais nos municípios de Pantelhó e Chicomuselo, em Chiapas, no sudeste do país, após atos violentos que impediram a instalação de cabines de votação.

VEM SEGUIR OS CANAIS DO DOL!

Seja sempre o primeiro a ficar bem informado, entre no nosso canal de notícias no WhatsApp e Telegram. Para mais informações sobre os canais do WhatsApp e seguir outros canais do DOL. Acesse: dol.com.br/n/828815.

tags

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

    Mais em Mundo Notícias

    Leia mais notícias de Mundo Notícias. Clique aqui!

    Últimas Notícias