Notícias / Notícias Pará

Devotos fazem carreata para homenagear Nossa Senhora do Ó em Mosqueiro

Medidas de segurança necessárias em um cenário de pandemia foram tomadas.

segunda-feira, 14/12/2020, 07:42 - Atualizado em 14/12/2020, 08:07 - Autor: Cintia Magno


Nossa Senhora do Ó recebeu muitas homenagens
Nossa Senhora do Ó recebeu muitas homenagens | Celso Rodrigues

Mantendo uma tradição que já dura 134 anos, a comunidade de Mosqueiro, distrito de Belém, prestou homenagens à Nossa Senhora do Ó, na manhã deste domingo (13), em mais uma edição do Círio na ilha. Adaptada às medidas de segurança necessárias em um cenário de pandemia, a homenagem ocorreu em forma de carreata que foi recebida com um tapete de serragens montado em frente à Igreja Matriz, na Vila.

Com a réplica da imagem de Nossa Senhora nas mãos, o cabeleireiro Oscar Marques, 61 anos, fez questão de acompanhar a missa que antecedeu a carreata, realizada ao ar livre, em frente à Capela Sagrado Coração de Jesus, no bairro do Chapéu Virado. O devoto, morador de Mosqueiro, conta que a promessa que o leva a acompanhar o Círio de Nossa Senhora do Ó todos os anos foi feita antes de ele nascer, por sua mãe. Levado às procissões quando criança, ele mesmo decidiu manter a promessa na adolescência e durante a vida adulta. “Eu tenho 61 anos e há 61 anos eu participo do Círio pagando promessa. Eu só tenho a agradecer a Deus pela minha saúde e da minha família”, emocionava-se. “Todas as vezes que eu recorri à intercessão de Nossa Senhora, ela me atendeu”.

Diante de tantas graças alcançadas, Oscar aponta que mesmo o cenário diferente vivenciado pelo mundo em decorrência da pandemia da Covid-19 não o fez perder o dia de homenagens. Mantendo o distanciamento e acompanhando a missa de abertura de longe, ele também fazia um pedido especial. “Eu peço que ela interceda, que entre na cabeça dos cientistas para que a vacina chegue logo até nós e que ela abençoe a nossa Mosqueiro que está tão abandonada”, refletia. “O Círio deste ano é diferente, mas o amor por Nossa Senhora não muda, a fé em Jesus Cristo é a mesma”.

| Celso Rodrigues
 

| Celso Rodrigues
 

Para a aposentada Josina Pacheco, 63 anos, o compromisso de homenagear Nossa Senhora do Ó permanecerá presente enquanto ela tiver vida e saúde. Neste ano, em decorrência da pandemia, pela primeira vez ela não acompanhou a procissão, mas realizou suas orações antes da saída da carreata, na missa. “Até quando eu tiver vida, vou participar do Círio. Esse ano eu vim rápido, não vou poder acompanhar, mas a minha fé é a mesma”.

TRADIÇÃO

Tendo passado por um ano de 2020 difícil, a aposentada Bernadeth Pereira Lima, 73 anos, se deslocou de Belém até Mosqueiro para pedir força e agradecer à Nossa Senhora do Ó. Ela conta que mantém essa tradição há muitos anos. “Eu sempre tive muitas graças alcançadas, então todo ano eu venho de Belém para participar”, conta. “Este ano eu tive uma perda muito difícil, perdi meu marido para a Covid-19, então venho pedir força para enfrentar esse momento, mas também venho agradecer pela saúde do restante da família. Toda a minha família pegou a Covid, mas Graças a Deus os demais todos conseguiramse recuperar”.

Foi também a gratidão pela vida que levou Maria José, 63 anos, a sair de Belém rumo a Mosqueiro para homenagear Nossa Senhora. “Eu passei pelo ‘vale da morte’, mas, pela minha fé, eu consegui sair e hoje me encontro aqui para agradecer”, contou. “Todos os anos nós viemos em caravana, mas esse ano, com toda essa situação, tivemos que vir num grupo reduzido”.

A todo momento, ao longo da celebração, as orientações de distanciamento e uso da máscara eram reforçadas. Além da missa realizada ao ar livre e com um número menor de devotos do que o habitual, outra mudança observada foi a condução da berlinda com a imagem de Nossa Senhora do Ó em carro aberto, acompanhada por uma carreata. No ponto final da peregrinação, na Igreja Matriz, na Vila, um tapete de serragens aguardava a chegada da imagem. Além da referência ao Círio, o tapete prestava solidariedade às famílias dasvítimas de Covid-19.

Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Ó, o cônego Cristóvão Freitas reforçou que, em decorrência da pandemia, a orientação da Igreja era para que os fiéis permanecessem em casa, já que Jesus se faz presente onde seus filhos estiverem. “O sentido maior é que, embora estejamos fechados em casa, cada um abra as portas do coração. Jesus vai ai encontro de quem abre o coração para Deus”, disse, ao apontar que o tema do Círio deste ano faz referência ao Sínodo Diocesano. “O nosso tema é ‘Na missão com Maria, abramos as portas para o Salvador e nossa casa seencher de alegria’”.

Josina Pacheco, Bernadeth Pereira e Maria José
Josina Pacheco, Bernadeth Pereira e Maria José | Celso Rodrigues
 

Carreata

- A carreata chegou à Igreja Matriz por volta de 10h40, onde foi realizada uma benção ao ar livre, em frente ao templo.

Festividade

- A festividade em homenagem a Nossa Senhora do Ó segue até o dia 18 de dezembro, data em que é celebrado o dia de Nossa Senhora do Ó.

-Todos dias, até o dia 18, serão realizadas orações do terço, sempre às 5h30, novenas, às 18h, e celebração de Santa Missa às 6h e 18h30.

- No dia 18/12 ocorrerá Missa Solene, presidida pelo pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Ó.

- Por conta das restrições e medidas de segurança sanitárias, as celebrações seguem com transmissão pelas redes sociais.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS