Notícias / Notícias Pará
ESTUDANTES

Enem 2020: professora orienta como fazer uma boa redação no exame

No Pará, cerca de 330 mil estudantes farão as 90 questões de Linguagens e Humanas, e terão que elaborar a redação neste domingo (17)

sexta-feira, 15/01/2021, 18:26 - Atualizado em 15/01/2021, 18:26 - Autor: Agência Pará


Prova terá duração de 5h30 e questões objetivas de Linguagens e Humanas, além da redação de até 30 linhas, em texto dissertativo
Prova terá duração de 5h30 e questões objetivas de Linguagens e Humanas, além da redação de até 30 linhas, em texto dissertativo | Eliseu Dias/Ascom Seduc

Mais de 5 milhões de estudantes em todo o País - com exceção dos que residem no estado do Amazonas -, farão neste domingo (17), o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Durante 5h30, os candidatos devem responder 45 questões objetivas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias - 45 questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias e ainda elaborar a redação de até 30 linhas, em formato dissertativo-argumentativo.

Este ano, 330 mil alunos paraenses se inscreveram para realizar o Enem, que é o principal meio de ingressar em universidades públicas brasileiras. Além disso, a partir da média obtida no exame, os candidatos podem concorrer a vagas em instituições particulares de Ensino Superior, a partir de iniciativas como o Programa Universidade Para Todos (ProUni) ou o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies).

Com o intuito de ajudar os estudantes que irão elaborar o texto exigido na prova deste domingo, a professora da rede estadual de ensino, que ministra as disciplinas de Língua Portuguesa e Redação, Joana Vieira, pontua os principais tópicos que os inscritos devem se atentar na hora da escrita. A educadora conta que muitos candidatos perdem bastante tempo com as questões de múltipla escolha, logo no início da prova e, é de suma importância ler com bastante atenção o tema da redação para que se tranquilizem e diminuam a ansiedade de saber qual foi a temática proposta.

“Muitos candidatos não prestam atenção no comando da prova. Esse enunciado norteia tudo o que ele vai dizer na prova, isso significa dizer que ele precisa compreender o que o tema está se pedindo. Portanto, se o tema pede ‘caminhos para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil’, ele tem que entender que é diferente de dizer, ‘para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil”, disse a professora. 

De acordo com a educadora, os participantes acabam usando meios ultrapassados para iniciarem a redação, como o uso do “hoje em dia”, “atualmente”, “no mundo moderno” e “desde os primórdios”, o que é um erro, porque não existe uma palavra-chave para se usar no início do texto. É importante começar a redação com a contextualização da temática, trazendo das outras áreas do conhecimento informações que possam ajudar a apresentar melhor o que o Enem pede.

A dificuldade em diferenciar o texto argumentativo do dissertativo-argumentativo, tem sido um dos tópicos que mais desclassifica os candidatos na redação do Enem, segundo especialistas. Entender a diferença básica entre os dois textos é fundamental, pois um tipo privilegia apenas o pensamento da pessoa (argumentativo) e no outro, que é a maneira textual que se pede no exame, se informa e debate sobre o assunto em questão (dissertativo-argumentativo). É importante frisar que nesse último caso, o aluno não pode expressar suas opiniões em primeira pessoa.

Dados e porcentagens são o que maioria dos estudantes têm medo de usar durante a elaboração da redação, com receio de pôr uma informação incorreta. Dessa forma, os estudantes acabam não usando essas referências e tendo uma nota inferior da que teriam se a tivessem incluído. Pesquisas, números, porcentagens, citações e livros são alguns dos itens considerados no Enem de repertório sociocultural.

“Esse repertório, que é o arcabouço de leitura, que você traz da sua experiência, suas vivências, dos livros e jornais que você ouve. Ele é obrigatório dentro da prova do Enem. Não existe redação do Enem sem repertório, ou seja, sem informação; a informação ela vai embasar o seu ponto de vista, vai alicerçar o que você pensa. Portanto, o repertório sócio-cultural é obrigatório”, enfatizou a educadora.

POSSÍVEIS TEMAS

Joana Vieira ainda elenca os possíveis temas que podem cair na redação desta edição e comenta sobre a importância do aluno focar nos três eixos temáticos da base curricular do Ensino Médio, a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Por meio dele, se discute temáticas relacionadas à tecnologia, meio ambiente, ética, saúde, entre outros. 

“Este ano, podemos esperar temas que tratem da economia, como as crises trazidas pela pandemia; a educação em tempos de pandemia; a família em tempo de pandemia. Portanto, o tema pode circular na pandemia, ou não. Outro assunto que pode ser discutido é as crianças, por conta das políticas públicas em âmbito governamental. Exploração sexual; bullying; a questão da agressão física; os direitos da criança; e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O meio ambiente, que embora muita gente ache que seja um tema que possa ser discutido este ano, ainda é muito forte, a questão da sustentabilidade, os indígenas, sobre o lixo, enfim. Um deles é o mais possível de ser o tema da redação deste ano”, pontuou a especialista em Redação.

Por fim, os candidatos devem se ater às recomendações para que façam uma prova tranquila e obtenham o resultado esperado. O apoio da família e dos amigos em toda essa fase final de preparação para o Enem, é de suma importância, pois passa a sensação aos alunos de que não estão sozinhos em toda essa trajetória de aprendizagem e de avaliação. 

“É preciso também inteligência emocional, controlar a ansiedade, ter pensamento positivo, muita motivação e claro, dormir cedo, comer bem e não brigar com ninguém essa semana. Principalmente com os pais, porque os adolescentes estão em uma profunda ansiedade, então normalmente eles canalizam isso para brigas, desentendimentos e esse não é o momento; esse é o momento de estar em paz, de estar em família, de estar se sentindo amado. Portanto, eu creio que a calma e a inteligência emocional, devem reger esses últimos momentos antes da prova, pois os alunos já estudaram tudo que precisavam”, finalizou Joana Vieira. 

SERVIÇO

As provas presenciais do Enem 2020 ocorrem nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021.

- Abertura dos portões: 11h30 (horário de Brasília)

- Fechamento dos portões: 13h

- Início das provas: 13h30.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS