Diário Online
Notícias / Notícias Pará
FISCALIZAÇÃO

Cargas com polpa de frutas, peixe e queijo são apreendidas

A apreensão foi realizada pela Adepará e PRF em uma fiscalização móvel

terça-feira, 23/03/2021, 17:12 - Atualizado em 23/03/2021, 17:12 - Autor: Agência Pará


Imagem ilustrativa da notícia: Cargas com polpa de frutas, peixe e queijo são apreendidas
| Divulgação/Adepará

Agentes da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), da Unidade Local de Sanidade Agropecuária (Ulsa) de Capitão Poço, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), realizaram uma fiscalização móvel, que durou o fim de semana e resultou em várias apreensões de cargas ilegais. No último sábado (20), foram apreendidos 29 kg de polpa de frutas clandestina, em São Miguel do Guamá. Na sexta-feira (19), 300 kg de peixe foram apreendidos sem a documentação exigida por lei, 500 kg de polpa de frutas, sem registro de inspeção, e 50 kg de queijo também sem o registro.

A fiscalização da Agência foi realizada no posto da PRF, localizado no Km 100 da BR-316, município de Santa Maria do Pará, nordeste do Estado. Um dos responsáveis pela ação, o fiscal estadual agropecuário Engel Cichovski, explicou que o objetivo da fiscalização é coibir o trânsito de animais sem a Guia de Trânsito Animal (GTA) e de produtos e subprodutos de origem animal e vegetal sem documentação exigida por lei.

Engel também falou sobre o destino final da carga e a frequência das fiscalizações para combater a clandestinidade. "A ação é realizada uma vez por mês, em média, com apoio da PRF, parceiros de muito tempo da Ulsa de Capitão Poço. Os produtos serão inutilizados, a carga apreendida será destruída", disse.

Além de Engel, participaram da fiscalização os agentes fiscais agropecuários Rosevelt Orloteg e Raimundo Edinaldo e o auxiliar administrativo Jonatas Barradas, servidores da Adepará.

As ações da Agência que combatem a clandestinidade dos produtos e subprodutos de origem animal e vegetal são imprescindíveis para manter a saúde alimentar da sociedade, já que a fabricação, embalagem e armazenamento de qualquer produto de procedência desconhecida e em condições insatisfatórias geram riscos à saúde do consumidor.

Para garantir que o produto foi fabricado e armazenado conforme as legislações vigentes, o consumidor deve conferir o rótulo da embalagem, se este contém o selo de inspeção. O selo pode ser:

- do Serviço de Inspeção Municipal (SIM)

- do Serviço de Inspeção Estadual (SIE) da Adepará

- de Registro Artesanal da Adepará

- do Serviço de Inspeção Federal (SIF)

- ou do Sistema Brasileiro de Inspeção (Sisbi).

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS