Diário Online
Notícias / Notícias Pará
OLHO NA CONTA DE LUZ!

Famílias de autistas podem ter descontos na energia elétrica

O documento, de autoria do Defensor Público Cássio Bitar, cobra a Equatorial para que haja uma diminuição das taxas pagas por famílias de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

quarta-feira, 09/03/2022, 11:49 - Atualizado em 09/03/2022, 11:49 - Autor: Chama Comunicação

Google News

Centenas de famílias de pessoas com  Transtorno do Espectro Autista (TEA) podem ser beneficiadas com a proposta, caso seja aprovada.
Centenas de famílias de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) podem ser beneficiadas com a proposta, caso seja aprovada. | Divulgação

Na última sexta-feira (04), a Defensoria Pública do Estado do Pará (DEP-PA), através de seu Núcleo de Defesa do Consumidor (NUCON) expediu uma notificação à Equatorial Energia, recomendando a inclusão de unidades consumidoras onde residem pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no programa Tarifa Social Baixa Renda.

A medida segue a resolução nº 1000/21 da ANEEL, em que a unidade com renda familiar de até 3 salários mínimos e com pessoa com deficiência que necessite de intervenção domiciliar devem ter direito ao benefício. Para isso, seu Cadastro Único para Programas Sociais (Cadúnico) deve ser atualizado.

Câmara de Conciliação da DPE vai ajudar superendividados

Escolas devem garantir direitos das pessoas com deficiência

De acordo com o Defensor Público Cássio Bitar, responsável pela proposta, “desde janeiro a Lei 14203/2021 obrigou as concessionárias de todo pais e realizar busca ativa no Cadúnico para inclusão de usuários no programa Tarifa Social. Ocorre que esse cadastro historicamente priorizou apenas o critério econômico, deixando de lado outros casos em que o benefício é devido, como no caso da pessoa com deficiência", explica.

 

A proposta do Defensor Público Cássio Bitar visa colaborar com as famílias de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Pará.
A proposta do Defensor Público Cássio Bitar visa colaborar com as famílias de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Pará. | Divulgação
 

É ainda Cássio que enfatiza que “o Pará tem uma das tarifas mais caras do país e na conta de uma família que convive com autismo essa conta pode ficar mais cara”, o que torna a medida mais importante ainda para as famílias.

A notificação da DPE-PA cobra ainda que a Equatorial informe quais as medidas adotadas e de sua atuação para o cumprimento das alterações introduzidas pela Lei nº 14.203/2021 e também o número de unidades consumidores inscritas no Programa Tarifa Social Baixa Renda com fundamento no artigo 177, inciso III da Resolução nº 1000/2021 da ANEEL.

BUSQUE SEUS DIREITOS!

Para saber mais e buscar seus direitos, é possível agendar um atendimento no Nudecon através do “Conexão Defensoria”, da DPE-PA (http://www.defensoria.pa.def.br/conexaodefensoria/) ou ligar para 91-3201-2727.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS