Diário Online
Notícias / Notícias Pará
SEMANA SANTA

Preço do pescado está 9% mais caro em supermercados de Belém

O quilo da maioria dos peixes aumentou, de acordo com levantamento do Dieese. Consumidores armazenam o alimento para a Semana Santa

terça-feira, 22/03/2022, 08:38 - Atualizado em 22/03/2022, 08:37 - Autor: Alexandre Nascimento/Diário do Pará

Google News

Filé, inteiro ou em postas, o peixe aumentou de preço. A clientela teme novos reajustes até abril
Filé, inteiro ou em postas, o peixe aumentou de preço. A clientela teme novos reajustes até abril | Antônio Melo/ Diário do Pará

Com a proximidade da Semana Santa, o consumo de peixe se intensifica, uma vez que nesse período religioso a carne vermelha é evitada. No entanto, manter a tradição do alimento nessa data pode ser comprometida, já que os pescados têm sofrido bastante aumento, como no mês passado, quando a maioria das espécies, sejam os comercializados inteiros, em postas e na forma de filé, apresentou altas nos principais supermercados de Belém, segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese-PA).

Governo zera imposto do etanol e de alimentos; entenda!

De acordo com o estudo, o peixe vendido na forma inteira que apresentou maior reajuste no preço médio do quilo foi a pescada branca, 8,50% mais cara, seguida do quilo da gurijuba, com alta de 6,70%, da pescada amarela, que subiu 6,31%, tambaqui, com aumento de 3,14%, dourada, em 2,93% no preço do quilo, filhote, com alta de 2,09% e, por fim, pescada gó, que teve o aumento de 1,20%.

O Dieese-PA também mostrou que praticamente os mesmos pescados apresentaram aumento nos preços, mas dessa vez os comercializados em postas nos supermercados da cidade. O principal reajuste foi no quilo médio do filhote, que teve a alta de 9,28%, vindo na sequência a gurijuba com aumento de 4,07% seguida pela pescada amarela que aumentou 3,42%.

Concursos no Pará têm 618 vagas e salários de até R$ 15 mil

Já entre os peixes comercializados na forma de filé, considerados mais nobres devido a falta de espinhas, o maior reajuste ficou por conta do preço do quilo da pescada amarela, com alta de 8,58%, seguida do filé do filhote, que registrou alta de 1,45% no preço médio do quilo. Entretanto, como forma de boa notícia ao consumidor, apenas o quilo do filé da dourada apresentou queda de preço de 3,89%.

| Divulgação
 

Dessa forma, a alta dos preços dos pescados pode alterar a tradição de quem consome apenas peixe na Semana Santa. Isso porque a proteína pode sofrer novos reajustes nos próximos dias. Por conta dessa previsão, o consumidor já procura meios de economizar para garantir o alimento no feriado. “Irei fazer como em outros anos, não comprar em supermercados e sim nas feiras que possuem peixes mais frescos e com preços mais em conta”, disse Edilza Bastos, 50, médica veterinária.

Já o fisioterapeuta Edson Mota vai procurar os dias de promoção dos pescados nas redes de supermercados da cidade, já que geralmente oferecem descontos aos consumidores. “Geralmente esses descontos são dados nos dias de terça, que os supermercados chamam de ‘terça do pescado’. Eles sempre dão descontos, então, vou aproveitar esse dia para comprar peixe e, quem sabe, até a Semana Santa ir comprando e armazenar para garantir o peixe nesse feriado religioso”, revelou.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS