Diário Online
Notícias / Notícias Pará
INVESTIGAÇÃO CONTINUA

UFRA investiga causa da morte de macacos do Bosque

A alimentação inadequada desses animais pode ter sido uma das causas dos óbitos. Por isso, mais uma vez, a direção do bosque distribuiu placas informando que é proibido alimentar os primatas

terça-feira, 07/06/2022, 14:24 - Atualizado em 07/06/2022, 14:21 - Autor: Com informações de Wellington Jr./ RBATV

Google News

Imagem ilustrativa da notícia: UFRA investiga causa da morte de macacos do Bosque
| Foto: Agência Belém

A investigação para saber o que causou a morte de oito macacos encontrados na última sexta-feira no bosque Rodrigues Alves, na Av. Almirante Barroso, em Belém,  continua e está na responsabilidade da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

Roubo por aproximação: Saiba o que fazer caso seja vítima

Os animais foram localizados por equipes que diariamente fazem buscas dentro do jardim zoobotânico. Nesta segunda-feira (06), o exame de necropsia dos animais foi enviado para a perícia. 

Segundo Alexandre Mesquita, diretor do bosque, a causa da morte deve ser investigada minunciosamente. "Os órgãos desses macaquinhos serão a fonte das investigação. Deve ser avaliado se existem substâncias que indicam envenenamento ou vírus responsável pela morte", disse.

A alimentação inadequada desses animais pode ter sido uma das causas dos óbitos. Por isso, mais uma vez, a direção do bosque distribuiu placas informando que é proibido alimentar os primatas. 

 

Parte interna do Bosque Rodrigues Alves
Parte interna do Bosque Rodrigues Alves | Foto: Wellington Jr. / RBATV
  

"Não descartamos nenhuma hipótese. A alimentação aqui é organizada. Qualquer outra coisa que tenham comido, pode ter evoluído para uma infecção e eles não tiveram como se recuperar", acrescentou o diretor.

Em nota, a UFRA informou que 12 animais mortos foram encaminhados para investigação e a notícia chamou a atenção. Porém, o jardim zoobotânico da Amazônia disse que os quatro animais enviados para a universidade morreram em semanas anteriores por causas naturais, brigas e atropelamentos. Do sábado passado até esta terça-feira (07), nenhum animal foi encontrado morto.

Leia também:

Operação combate exploração ilegal em terra indígena no Pará

"A gente ressalta que nenhum animal foi encontrado sem vida por aqui nos últimos dias. Contudo estamos atentos. Nenhuma ave morreu e elas são consideradas mais frágeis a vírus, do que os próprios macacos." finalizou o diretor. 

O laudo com o resultado dos óbito deve sair em 15 dias. Enquanto isso a visitação no bosque Rodrigues Alves está suspensa. Veterinários e equipes técnicas continuam vistoriando a área.


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS