Diário Online
Notícias / Notícias Pará
CIÊNCIA

Com vacinas em dia, proteção do organismo fortalece

Independente da idade, qualquer tipo de imunizante é importante e indispensável para garantir a saúde das pessoas, que passam a ganhar mais resistência e se blindam de doenças

quarta-feira, 08/06/2022, 08:07 - Atualizado em 08/06/2022, 08:33 - Autor: Wesley Costa

Google News

Vacinas salvam vidas e deixam o corpo mais protegido. Várias enfermidades já foram erradicadas
Vacinas salvam vidas e deixam o corpo mais protegido. Várias enfermidades já foram erradicadas | Celso Rodrigues / Diário do Pará

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em 2021, nenhum estado brasileiro atingiu a meta de vacinação infantil contra o sarampo, voltada para crianças de seis meses a cinco anos de idade. O estudo apontou que, dos 5.500 municípios da federação, apenas 660 (cerca de 12%) alcançaram o percentual de 95% do público-alvo. Os dados são preocupantes, já que as vacinas são responsáveis por erradicar várias doenças e garantir saúde às pessoas, afirmam especialistas.

A médica infectologista, Andrea Beltrão, explica a importância de manter a carteira de vacinação sempre atualizada, independentemente da idade. “Tivemos um foco na vacinação da Covid, mas não podemos deixar de lado as outras doenças que são graves e também podem levar à morte. Algumas delas não estão presentes há anos, justamente por conta da imunização. Ter a carteira sempre atualizada é essencial para que elas (doenças) não voltem a circular entre nós.”

UFRA investiga causa da morte de macacos do Bosque

Os imunizantes proporcionam uma proteção mais eficiente contra as doenças, destaca a especialista. “Ter um corpo saudável é importante sim, pois ajuda a diminuir os sintomas das doenças. Porém, as vacinas funcionam como um potencializador dessa proteção do organismo e também é uma forma de evitar a propagação das doenças. A ideia de que o organismo por si só se protege não é para qualquer um, ainda mais que a pandemia mudou hábitos e muitos não possuem toda essa eficácia natural do corpo e também mental”, afirma a especialista.

“Muita gente não se vacinou, adoeceu e criou os anticorpos, mas é algo não tão duradouro. As vacinas servem justamente para deixar uma resposta mais rápida e duradoura aos vírus. Não podemos desperdiçar ou menosprezar as vacinas, porque são uma arma para diminuir riscos. As vacinas são um prêmio para todos nós e sempre que for necessário cumprir um calendário é importante a participação de todos nas campanhas”, reforça a médica Andrea Beltrão.

PESQUISAS

Um estudo da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) levantou também um alerta com relação a vacinação da Covid-19 de gestantes e puérperas, um dos grupos considerados de risco para a doença. Mesmo com grandes estudos comprovando a eficácia da vacinação, apenas 21,6% das três milhões de gestantes previstas pelo Programa Nacional de Imunização foram vacinadas no ano passado.

A infectologista destaca que, além da vacina contra a Covid-19, existem outros três imunizantes importantes que devem ser ministrados nessa fase. “Todas as grávidas devem tomar as vacinas contra a influenza e principalmente da hepatite B. Outra vacina que não pode deixar de ser tomada é a tríplice viral. São doses que ajudam tanto na manutenção da saúde da mãe, quanto na proteção dos bebês que recebem os anticorpos”, conclui a médica.

Muita gente não se vacinou, adoeceu e criou os anticorpos, mas é algo não tão duradouro. As vacinas servem justamente para deixar uma resposta mais rápida e duradoura aos vírus” Andrea Beltrão, médica

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS