No último sábado (25), a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), fez a entrega do novo flutuante e da passarela de embarque e desembarque no trapiche do distrito de de Icoaraci. Porém, a estrutura ainda não havia sido liberada pela Capitania dos Portos e pela Marinha do Brasil, órgãos responsáveis pela liberação e interdição do espaço que havia sido feita por meio de portaria. Devido à demora na liberação do acesso, os próprios frequentadores disseram que removeram as fitas de interdição e ontem a reportagem do DIÁRIO registrou embarques e desembarques feitos neste ponto de acesso.

Antes, a população utilizava uma pequena escada na lateral do trapiche para conseguir embarcar e desembarcar. “Não tinha como ficar assim. Muita gente tinha de ficar pisando na lama para conseguir entrar nos barcos. Tinha muitos idosos e até cadeirantes se arriscando para fazer esse embarque. Por isso, a gente abriu e com a maré cheia conseguimos, pelo menos, embarcar com maior tranquilidade”, reclamou José da Silva, 61. “Para quem precisa ficar indo e vindo por esse ponto está bastante complicado ainda”, completou o passageiro.

Vídeo: cobra é flagrada após trapiche de Icoaraci afundar

Trapiche precisa de liberação para retorno após obras

Paulo Eduardo, que costuma fazer constantemente o trajeto entre Belém e a Ilha de Cotijuba, elogiou a nova estrutura. “Mas ainda tem os riscos, já que não foi devidamente liberado e o tráfego está fluindo mesmo assim. É preciso que os órgãos de fiscalização tomem providências para evitar novos acidentes”, observou.

Ainda no sábado, enquanto aguardava a nova portaria de liberação completa para o uso do trapiche, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) informou que a operação da linha hidroviária municipal, que faz a travessia para a ilha de Cotijuba, permaneceria temporariamente no trapiche Chico Sampaio, no distrito de Outeiro.

Em nota, a Seurb disse que “segue em tratativas com a Capitania dos Portos, da Marinha do Brasil, para a liberação do flutuante do trapiche de Icoaraci”. Ainda segundo a nota, ontem de manhã, a gestão municipal se reuniu com a Capitania dos Portos para tratar da documentação de liberação do novo flutuante, procedimento necessário para garantir tranquilidade e segurança na travessia para Cotijuba e demais ilhas. “A Seurb deve concluir a entrega da documentação ainda nesta segunda, e a Capitania dos Portos, que é o órgão responsável pela liberação e interdição do espaço, vai analisar a documentação e na terça irá ao trapiche realizar uma vistoria no novo flutuante e rampa de acesso para poder liberar com segurança o fluxo de passageiros”, disse Deivison Alves, titular da pasta.

O órgão destacou ainda que a Capitania é responsável pela liberação e interdição do espaço, quando necessário, e que nenhum órgão do governo municipal tem a prerrogativa de liberar o flutuante.

Com relação à fiscalização na área do trapiche, diferente do que pode ser observado pela equipe de reportagem, a gestão disse que mantém equipes da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), da Guarda Municipal e da Seurb no local, para evitar o acesso descontrolado até que a autorização de uso do flutuante seja oficializada pela Capitania.

De acordo com a própria população, para subir e descer nas embarcações era preciso pisar na lama. Eles também reclamam da falta de fiscalização no flutuante Foto: Celso Rodrigues / Diário do Pará

Conteúdo Patrocinado

MAIS ACESSADAS