Diário Online
Notícias / Notícias Pará
Notícias Pará

Taxistas fecham São Brás enquanto Zenaldo cumpre agenda em Mosqueiro; veja o vídeo

quarta-feira, 23/01/2019, 08:48 - Atualizado em 23/01/2019, 17:37 - Autor:

Google News

Os taxistas que bloquearam a avenida Marechal Hermes com a Doca de Souza Franco, no bairro do Umarizal, em Belém, na manhã desta quarta-feira (23), interditaram no começo da tarde as vias no bairro de São Brás. Segundo a Polícia Militar da área, o protesto tem como o objetivo pressionar o Ministério Público para exigir o decreto que regulamenta o uso dos aplicativos de mobilidade urbana, seja cumprido. Ainda de acordo com os policiais militares, a manifestação está ocorrendo de forma pacífica. 



Protesto durante a tarde


No início da tarde desta quarta-feira (23), os taxistas também interditaram o cruzamento da avenida Almirante Barroso, avenida José Malcher, avenida Ceará e travessa Cipriano Santos, no bairro São Brás. O trânsito ficou complicado na área. As vias foram liberadas por volta das 16 horas.


O cruzamento da avenida Almirante Barro com a Cipriano Santos, na esquina do Terminal Rodoviário de Belém, está interditado. (Foto: DOL)


Os manifestantes estão com um carro som no local e ameaçam fechar outras vias de grande circulação em Belém. 


Os taxistas também fecharam a avenida Almirante Barroso com a José Malcher. (Foto: Suelle Cunha/Via WhatsApp)


O que os taxistas falam


Em entrevista ao DOL, na noite da última terça-feira (22), o taxista Isaac Nunes explicou que "o decreto entrou em vigor, mas tem motorista que, mesmo com os 120 dias dados para se adequar às normas, não está dentro das exigências. Agora esses motoristas que não se adequaram estão pedindo para que dêem mais três meses para fazer isso".



Além da assinatura do decreto, os taxistas também exigem rigor na limitação da criação dos carros de aplicativos. "Queremos que cumpram a data do decreto e cobrem daqueles que não procuraram se regularizar no período exigido", explicou Nunes.


Os manifestantes também reinvidicam o fato do decreto ter sido assinado sem um estudo do impacto da malha viária de Belem, o que tem gerado uma série de problemas ao trânsito da cidade. "O prefeito assinou o decreto sem fazer o estudo do impacto da malha viária, assim como os impactos ambientais ocasionados em virtude do número de motoristas pelos aplicativos", ressaltou o taxista César Santos. 


Os taxistas estão aguardando a presença do prefeito Zenaldo Coutinho para liberar as vias que estão sendo ocupadas por cerca de 1 mil veículos. "A categoria decidiu que só vai sair das ruas hoje, quando o prefeito nos receber para nos dar um posicionamento real do que ele pretende fazer ao rumo de nossa categoria. Nós não temos nada contra os motoristas de aplicativos, mas nós queremos uma regulamentação justa, aonde todos podem trabalhar" disse César. 


Até o momento, os manifestantes não tiveram nenhuma resposta sobre o posicionamento do prefeito de Belém, que está em Mosqueiro. "Até agora ninguém nos deu uma posição sobre o prefeito e estamos aguardando um posicionamento. Se daqui a pouco nós não recebermos nenhum comunicado, vamos pra frente da casa dele, infelizmente. Vamos ter que causar esse transtorno e a culpa é do prefeito Zenaldo, que vem se escondendo e nos enganando através de reuniões, mas não toma nenhum posicionamento em relação a essa questão", finalizou o taxista.


O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, usou uma rede social para se posicionar sobre a situação dos taxistas. No vídeo, ele afirma que se surpreendeu ao saber que os profissionais estariam fechando as ruas da cidade. "Estou sendo surpreendido com informações de que um grupo de taxistas estaria fechando ruas em Belém. Isso é absolutamente e aburdo. Essa mobilização é política, partidária. Eles sabem que tem uma audiência marcada sexta-feira com o sindicato, com os taxistas. É um absurdo isso. Eu não aceito. Uma coisa é diálogo, e eu estou totalmente aberto ao diálogo. Outra coisa é oportunismo pra tentarem criar um fato político na cidade. Ora, paciência. Está marcada audiência sexta-feira", ressaltou o prefeito. 


Veja o vídeo:



Acompanhe o mapa ao vivo da manifestação:



MPPA recebe comissão de taxistas


A 3ª promotora de Justiça de Defesa do Consumidor, Joana Chagas Coutinho, recebeu, nesta 4ª feira (23), uma comissão de representantes dos taxistas de Belém. Eles vieram ao Ministério Público do Estado para reclamar do não cumprimento pela prefeitura da edção de decreto que regula o transporte por aplicativos em Belém. A avenida 16 de novembro ficou interditada por cerca de uma hora por aproximadamente 1.500 taxistas, que fizeram um ato de protesto nesta manhã pelas ruas da capital.


Segundo o representante dos taxistas, Isaac Nunes, o decreto a ser editado pelo executivo teria um credenciamento dos motoristas junto à Superintendência de Mobilidade Urbana de Belém dentro de um prazo. Nunes disse que não há nenhuma fiscalização por parte da prefeitura da atividade dos motoristas de aplicativos.


"Além disso é necessário que haja uma limitação da frota de motoristas por aplicativos, pois o número é muito elevado e congestiona o trânsito", disse Nunes.


Joana Coutinho ouviu as reivindicações da comissão de taxistas e os orientou a formalizarem por escrito essa situação de descumprimento pela prefeitura.


"Eles podem formalizar para que o pleito seja distribuído e analisado por uma das Promotorias de Justiça que tenha essa atribuição, pois a do Consumidor não poderá atuar, pois, como o próprio nome diz, atendemos aos consumidores, e não os prestadores de serviços, que é o caso dos taxistas". explicou Coutinho.


 LEIA MAIS:



(Com informações do Tarik Duarte/ Canal Interativo Pará)

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS