Diário Online
Notícias / Polícia
RECLAMOU DO PREÇO DA CARNE

Vídeo mostra agressões que causaram morte de ambulante

Vendedor recebeu soco no sábado (2), após ter reclamado do preço da carne. Vítima morreu no dia seguinte

quarta-feira, 06/10/2021, 14:39 - Atualizado em 06/10/2021, 14:39 - Autor: Com informações do Metrópoles


Caso ocorreu em Alvorada, no Rio Grande do Sul
Caso ocorreu em Alvorada, no Rio Grande do Sul | Reprodução - YouTube

Em setembro, o IPCA-15, índice do IBGE que mede o quanto a inflação atinge famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos, foi a 1,14%. Essa foi o maior valor desde fevereiro de 2016 (1,42%) e o maior para um mês de setembro desde 1994. Os preços das carnes subiram 1,10% e contribuíram com 0,03% de impacto.

No sul do Brasil, uma discussão por causa do preço da carne terminou em tragédia. Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que o vendedor ambulante Wagner de Oliveira Lovato, de 40 anos, é agredido em frente a uma casa de carnes na cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre (RS).

Pedreiro mata jovem e concreta seu corpo na parede

As agressões ocorreram no início da noite de sábado (2). Wagner morreu no dia seguinte, no Hospital Cristo Redentor, na capital gaúcha.

Segundo testemunhas, o ambulante (de camisa cinza) foi espancado por um funcionário do estabelecimento (verde) que estava de folga e por um amigo dele (listrada). Wagner teria reclamado do preço da carne. Os dois agressores estariam embriagados.

  

As imagens mostram que a vítima leva dois socos e cai desacordada, com a cabeça no chão. Em seguida, um dos agressores pisa sobre Wagner. Populares e outros funcionários do estabelecimento se aproximam para socorrer a vítima e evitar novas agressões.

A Polícia Militar chega em aproximadamente dois minutos após o início das agressões. Os agressores foram presos.

“Na hora que ele [Wagner] cai, teve traumatismo craniano. Foi uma batida bem forte, mas ele só morreu no hospital mesmo, cerca de 24 horas depois”, disse o delegado Edimar Machado de Souza ao site Metrópoles, nesta quarta-feira (6).

“Ninguém consegue falar com clareza quais foram os termos usados na discussão, mas o pessoal está explorando muito essa questão do preço da carne. Me parece que foi algo muito banal”, complementou o delegado.

A direção da casa de carnes onde as agressões foram registradas afirma que, desde o ocorrido, tem buscado contato com a família da vítima para dar o suporte necessário.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS