plus
plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Edição do Dia
Previsão do Tempo 33°
cotação atual R$


home
MONITORAMENTO

Jader sugere criação de agência de gestão de emergências

Proposta prevê que seja criada uma autoridade climática autônoma, com orçamento próprio, para realizar o processo de monitoramento, mobilização e reparação de desastres em apoio à Defesa Civil Nacional

twitter Google News
Imagem ilustrativa da notícia Jader sugere criação de agência de gestão de emergências camera Jader lembra que os eventos climáticos estão ocorrendo com maior frequência e intensidade | ( Divulgação)

A tragédia que abala o Rio Grande do Sul evidencia uma dolorosa realidade com a qual o Brasil deve se adaptar. Catástrofes ambientais e emergências climáticas podem se tornar cada vez mais frequentes no país. O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais – Cemaden, unidade integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, criado em 2011, vem fazendo estudos, que mostram que milhões de brasileiros não podem mais continuar morando em áreas de risco de deslizamentos e enxurradas. No Brasil, quase duas mil cidades são avaliadas com riscos.

O senador Jader Barbalho (MDB) está acompanhando atentamente as ações de socorro e apoio à população do Rio Grande do Sul. Mediante a possibilidade de que mais eventos climáticos possam atingir outras cidades e regiões, o parlamentar defende a criação da Agência Nacional de Gestão de Emergências (Anagem), autoridade climática autônoma, com orçamento próprio para realizar o processo de monitoramento, mobilização e reparação de desastres que vai agir em apoio à Defesa Civil Nacional.

Jader encaminhou sua proposta para o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. “Além das adaptações necessárias para a prevenção desses desastres, o Brasil precisa ter uma ‘sala de situação’ permanente, capaz de fazer de forma rápida e imediata a mobilização necessária para agir em caráter de urgência nesses eventos”, defende.

Conteúdos relacionados:

A Anagem, explica o senador, deve funcionar, de forma semelhante à Agência Federal de Gestão de Emergências (Federal Emergency Management Agency – FEMA), agência do governo dos Estados Unidos, criada para dar respostas aos desastres ambientais que ocorrem naquele país.

“Nos últimos anos, o governo federal colheu avanços na prevenção e resposta a desastres, criando legislações que melhoram a organização da Defesa Civil e as políticas de monitoramento e alertas de desastres como o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden)”, lembra o senador, que destaca a elaboração do Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Jader adverte, no entanto, que os eventos climáticos estão ocorrendo com mais frequência e intensidade em todo o mundo, o que torna necessário ter uma estrutura própria e autônoma para o rápido atendimento a essas emergências.

Quer ler mais notícias de política? Acesse nosso canal no Whatsapp

Além dos Estados Unidos, outros países, como a Austrália e o Reino Unido, já criaram as suas instituições públicas, que atuam em parceria com subdivisões e regiões (estados, províncias e distritos), órgãos de Defesa Civil e organizações comunitárias na elaboração e redução dos riscos e recuperação dos desastres com maior celeridade.

“Acredito que, com a Anagem será possível fazer o atendimento mais ágil e organizado de pessoas afetadas pelos desastres climáticos, além de respostas mais rápidas aos estragos ocasionados pelos desastres, pois terá orçamento próprio para atender essas situações, atuando em parceria com estados e municípios”, explica o senador.

As ações de resposta a desastres, por suas características, exigem medidas emergenciais para fazer o imediato socorro às vítimas (resgate, busca e salvamento); transportar vítimas; agentes de defesa civil e/ou produtos e materiais essenciais aos afetados; prestar assistência humanitária (alimentação, hidratação, abrigamento, limpeza e higiene pessoal); e restabelecer emergencialmente serviços essenciais e as condições de habitabilidade dos afetados.

VEM SEGUIR OS CANAIS DO DOL!

Seja sempre o primeiro a ficar bem informado, entre no nosso canal de notícias no WhatsApp e Telegram. Para mais informações sobre os canais do WhatsApp e seguir outros canais do DOL. Acesse: dol.com.br/n/828815.

tags

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

    Mais em Política

    Leia mais notícias de Política. Clique aqui!

    Últimas Notícias