plus
plus

Edição do dia

Leia a edição completa grátis
Edição do Dia
Previsão do Tempo 28°
cotação atual R$


home
O ROCK DOIDO É COM ELAS!

Vídeo: veja o que as irmãs DJ’s mais jovens do mundo fazem!

As gêmeas americanas Amira e Kayla têm apenas 16 anos, mas começaram a ser DJ’s ainda crianças, com 10. Veja a desenvoltura das meninas, dando um show de performance nas pick ups

twitter Google News
Imagem ilustrativa da notícia Vídeo: veja o que as irmãs DJ’s mais jovens do mundo fazem! camera As irmãs gêmeas Amira e Kayla, de 16 anos. Talento desde os 10 anos. | Reprodução

O jamaicano Clive Campbell, mais conhecido como Kool Herc, é considerado o primeiro DJ do Mundo. Foi ele que desenvolveu as técnicas dos famosos “sond systems” de Kingston. Organizando festas nas praças no bairro do Bronx em Nova Iorque, ele não se limitava a tocar discos, mas usava aparelhos de mixagem para construir novas músicas. Tudo isso começou em 1973, usando toca-discos e criando ali as suas mixagens.

Kool Herc ainda está vivo, tem atualmente 68 anos, e se já teve a oportunidade de ver as gêmeas americanas Amira e Kayla, de 16 anos, Nova Jersey, com certeza deve ficar orgulhoso. As meninas são um verdadeiro fenômeno nas pick-ups que foram dadas de presente pelo pai delas, o DJ e produtor musical Elijah Wells, e as ensinou o “scrash” (movimento de vai e vem do prato do toca-discos feito com as mãos), e outras técnicas utilizadas pelos DJ’s mais experientes.

DJs Amira & Kayla

O pai dava discos de vinil para as meninas brincarem, mas elas gostavam mesmo é de dançar. Logo ficaram conhecidas como as “bebês dançantes”, mas o pai enxergou além e percebeu que as filhas tinham futuro como DJ’s. A partir de então, ele passou a incentivar as meninas a tocarem e com 10 anos, já estavam feras.

A grande estreia aconteceu de bobeira numa festa da escola quando elas tinham 12 anos. Quando as duas começaram a discotecar, a criançada pirou. Mas mesmo os adultos ficaram impressionados com a percepção sonora e os remixes das gêmeas, o que as garantiu um certo status profissional que pouca gente que se diz DJ tem.

Veja também:

Morre blogueira que incentivava emagrecimento saudável

Vídeo: Neymar curte noitada com duas mulheres na Espanha

Motorista atropela motociclista após discussão em Marabá

As DJs mirins revezam os estudos com as aulas de DJ. O talento precoce já rende aparições em rede nacional e participação em concursos. No momento, elas estão se preparando para um dia entrarem na lista de melhores DJs do mundo que, em pleno 2023, absurdamente ainda é dominada por homens.

Os números de seguidores nas redes sociais indicam que as gêmeas estão no caminho certo. São mais de 646 mil seguidores no Facebook e 202 mil no Instagram, além de 2.045 no Tik Tok, em pouco mais de cinco anos de carreira.

“Nosso pai tocava o dia todo em casa e isso fez com que passássemos a amar música. Ele começou a nos ensinar os conceitos básicos de discotecagem e apresentar diferentes estilos. Quando tocamos a primeira vez em uma festa na escola, a reação das pessoas nos deu certeza de que deveríamos continuar discotecando”, disse a gêmea Kayla.

“Nós amamos todos os tipos de música e tocamos todos os gêneros, dependendo do público, mas nossos estudos foram em cima do Hip Hop old school. Sempre surpreendemos quando tocamos uma música que as pessoas não têm ideia de que conhecíamos, porque ela foi lançada bem antes da gente nascer”, declarou a outra irmã, Amira.

tags

Quer receber mais notícias como essa?

Cadastre seu email e comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)

plus

    Mais em Música

    Leia mais notícias de Música. Clique aqui!

    Últimas Notícias