Diário Online
LAB ÁFRICA

Programação debate arte e questões raciais; participe!

A super programação de abertura terá como convidadas a professora Zélia Amador de Deus (UFPA), a jornalista e fotógrafa Ariela Motizuki e a cantora Gláfira Lobo. A mediação será de Carol Pabiq, a DJ Ananindeusa.

quinta-feira, 13/05/2021, 11:20 - Atualizado em 13/05/2021, 11:22 - Autor: Diario Online


Imagem ilustrativa da notícia: Programação debate arte e questões raciais; participe!
| Reprodução

Nesta quinta-feira (13), ocorrerá o lançamento do LABORATÓRIO AFRICA (Atividades de formação e resistência intercultural na Amazônia), direcionado ao estímulo da leitura e discussão de obras científicas, técnicas e culturais que fazem parte da formação do aluno de Letras e futuros professores.

A criação do Lab África, na Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) leva em conta que a formação de leitores é um tema de destaque dentro da educação e preocupa as pessoas envolvidas neste processo, tendo em vista que nas avaliações da habilidade de leitura, o Brasil fica entre os últimos, pois os alunos apenas localizam informações pontuais nas leituras e fazem conexões simples, sem ter uma compreensão e interpretação global do texto lido.

Nesse sentido, é importante destacar os aspectos de letramento relacionados às práticas sociais, como a leitura e produção de texto. Serão realizadas ações diárias em local destinado à leitura e discussão de textos por alunos e professores. Há a possibilidade de inserção de círculos de leitura e do livro dentro da instituição e fora dela, como a formação de espaços de leitura fixos e itinerantes, onde sejam realizadas ações pelos frequentadores do Laboratório África.

Por isso, o laboratório está relacionado à atividades de formação e resistência, formação por se propor a ser um espaço de formação do leitor e formação docente, a partir das práxis e reflexão leitora, resistência por ser esse um mecanismo de ultrapassar as barreiras impostas frente à problemática da falta de materiais específicos na biblioteca da universidade, ou nas escolas onde os frequentadores do projeto poderão atuar como formadores de leitores, por intervenção pedagógica docente, visando suas futuras atuações.

PARTICIPE!

A programação de abertura terá como tema "Linguagens artísticas na periferia e questões raciais na formação docente". As palestrantes serão a professora Zélia Amador de Deus (UFPA), a jornalista e fotógrafa Ariela Motizuki e a cantora Gláfira Lobo. A mediação será de Carol Pabiq, a DJ Ananindeusa.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas clicando aqui.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS