Diário Online
Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
A HORA DO ADEUS

Perema nega boatos sobre contrato e se despede do Paysandu

Após cinco anos, trajetória de zagueiro na Curuzu chega ao fim, entretanto ele rebate declarações do presidente Maurício Ettinger de que teria prorrogado contrato para jogar a Copa Verde: "Disseram que eu havia assinado, mas é mentira".

quinta-feira, 25/11/2021, 16:20 - Atualizado em 25/11/2021, 17:07 - Autor: Magno Fernandes


Vínculo do zagueiro Perema no Paysandu, chega ao fim no próximo dia 30 de novembro.
Vínculo do zagueiro Perema no Paysandu, chega ao fim no próximo dia 30 de novembro. | Jorge Luis Totti/Paysandu

Contratado logo após o término do Campeonato Paraense de 2017, junto ao São Francisco de Santarém, desde que chegou ao estádio da Curuzu, o zagueiro Perema já foi se tornando um dos principais jogadores, não apenas no sistema defensivo, mas também uma das lideranças do elenco enquanto esteve vestindo as cores do Paysandu.

No entanto, o ciclo de Auricélio Vinhote Soares dos Santos, de 29 anos de idade, no "Vovô da Cidade", chegou ao fim. Mesmo com o presidente do Paysandu, Maurício Ettinger, informando dias atrás: "fizemos um aditivo com ele somente para Copa Verde por enquanto", Perema revela com exclusividade ao DOL que não assinou nenhuma prorrogação de contrato e que está de saída do Papão.

"Tudo que saiu nos noticiários dizendo que eu tinha assinado o aditivo é mentira. O que eu sempre disse foi que iria cumprir meu contrato até o dia 30, e só. Na primeira reunião que eu tive com a diretoria, depois do jogo contra o Castanhal (pela Copa Verde), já havia deixado bem claro de que não ficaria depois do dia 30. Acredito que é hora de respirar novos ares", disse.

Durante as cinco temporadas que atuou pelo Paysandu, Perema disputou 173 partidas, marcando sete gols e uma assistência ao gol. Além do mais, o zagueiro - que é natural do município de Santarém - teve fundamental importância na conquista de três títulos estaduais e um da Copa Verde, quando foi capitão e levantou a taça de campeão.

"Tudo é plano de Deus, o meu sentimento e o que diz meu coração junto com a minha esposa, é que o que eu poderia fazer pelo Paysandu fiz durante esses cinco anos, por isso, mas o meu maior sentimento é de gratidão por tudo que vivi aqui, só tenho a  agradecer, pela oportunidade de vestir essa camisa de tantas histórias e conquistas", relatou.

Do atual elenco, mesmo com a perda do acesso para a Série B, o zagueiro santareno foi um dos poucos poupados pela torcida. Além da parte técnica, sempre pesou também a história do jogador no clube. Mesmo assim, Perema guarda com profunda mágoa em sua memória, a lamentável invasão ao gramado da Curuzu, após a derrota para o Ituano-SP, por 4 x 1, pela Série C.

"A invasão de alguns torcedores no jogo contra o Ituano foi o pior momento. Cara, nunca passei por situação como aquela. Sentimento de medo, impotência, eu me senti um lixo, foi um sentimento muito ruim. Porém, saio com a consciência de que fiz o meu melhor, dei o meu máximo nos jogos", destacou.

Com a certeza de que não irá continuar no Paysandu, Perema também revela que não tem nenhuma proposta para ir à outra equipe no momento. Para a reportagem, o jogador destacou que vai aproveitar os últimos dias de 2021 para descansar, ficar próximo de seus familiares e somente depois de alguns dias que pensará qual será seu novo destino no futebol.

"Primeiro vou pra casa descansar um pouco. Vou ficar perto do meu pai que fez uma cirurgia no coração há um mês, ficar um pouco junto da minha família durantes esses últimos dias do ano. Aí só depois vou decidir alguma coisa", revelou.

Antes de atuar pelo Papão, o zagueiro teve passagens no São Francisco-PA, Águia de Marabá, Duque de Caxias-RJ, Portuguesa-SP e também no alvinegro São Raimundo-PA, também de Santarém. Com o sentimento de dever cumprido, mas ao mesmo tempo triste por não ter alcançado o objetivo de recolocar o Paysandu na Série B, o defensor agradece - de forma emocionada - o carinho dado pelo torcedor.

"Agradeço ao torcedor que me acolheu muito bem. Foram anos muitos bons, fico triste só por não ter conseguido colocar o Paysandu na Série B, mais agradeço pelo carinho que tiveram comigo e com a minha família. Foram momentos que ficarão guardados pra sempre no meu coração. Um grande e forte abraço a toda torcida bicolor!", concluiu.

Conteúdo Relacionado

0 Comentário(s)
MAISACESSADAS