Diário Online
Esporte / Esporte Pará
PAYSANDU

Aldo fala de evolução, mostra "pés no chão" e visa Confiança

Meia e craque do Paysandu vem ganhando cada vez mais destaque nas partidas da Série C do Brasileiro e comentou sobre cobrança pessoal: "Não deixo subir para a cabeça. Ainda não estou no auge"

quarta-feira, 06/07/2022, 23:30 - Atualizado em 06/07/2022, 23:29 - Autor: Kaio Rodrigues

Google News

José Aldo é o "cara" do Paysandu
José Aldo é o "cara" do Paysandu | John Wesley/Paysandu

Se há um jogador acima da média na Série C do Brasileiro, este alguém é José Aldo, do Paysandu. O meia de apenas 23 anos, desfila em campo e vem ajudando o Papão a chegar cada vez mais próximo do primeiro objetivo na competição nacional, que é garantir vaga no quadrangular final. Ele comentou sobre as atuações que chamam atenção.

“Em tudo na vida é difícil mantermos uma boa regularidade. Acredito que, assim como minha equipe, venho tendo boas atuações, mas tenho muito que melhorar. Me cobro bastante, juntamente com meus companheiros, comissão, meu pai e empresário. Sempre conversamos bastante. Faço uma autoanálise após os jogos. Afirmo que não fico contente na maioria das vezes. Tenho que melhorar. Ainda não estou no auge. Procuro a cada treinamento estar evoluindo", destacou.

Aldo desfilou no Re-Pa
Aldo desfilou no Re-Pa | John Wesley/Paysandu
  

As boas atuações colocaram holofotes no jogador, que recebeu propostas para deixar o Paysandu há alguns meses. Na ocasião, a Ponte Preta fez uma proposta, igualada pela diretoria alviceleste, o que garantiu Aldo na Curuzu até o fim da temporada. Tanta mídia pode fazer o jogador se perder, mas não é o caso do camisa 11 bicolor.

“Graças a Deus, meus pais me deram uma boa educação. Meu pai foi jogador e me preparou bem para as situações de quando estamos jogando bem. Não deixo subir para a cabeça, pois sabemos que no futebol é preciso sempre estar dando uma resposta positiva a cada partida. É estar preparado. Me cobro até demais. Vejo o que preciso melhorar, o que eu posso fazer. Sempre observo os pontos das partidas para evoluir", enfatizou.

Personalidade aos 23 anos chama atenção
Personalidade aos 23 anos chama atenção | John Wesley/Paysandu
 

Restam seis rodadas para o término da primeira fase da Terceirona. O Paysandu ainda tem pela frente o Confiança (16º), Vitória (13º), Figueirense (9º), Altos (14º) e Floresta (15º). Ou seja, nenhum, no momento, está entre os oito primeiros, que vão garantindo vaga à próxima fase. Mesmo assim, todo cuidado é pouco, alertou Aldo.

“Nós estamos pegando os times que estão mais embaixo na classificação, mas que estão evoluindo nos trabalhos. Isso é uma dificuldade maior para nós. Por estarmos em um clube grande como o Paysandu, todos querem dar o seu melhor contra a gente. Sabem da nossa força. Temos que nos preparar e seguir unidos para conseguir a classificação, que é o nosso primeiro objetivo e chegar bem na fase final", comentou.


O Papão recebe o Confiança na Curuzu pela 14ª rodada. O Dragão Sergipano ainda não venceu como visitante nesta Série C do Brasileiro. São seis jogos, três derrotas e três empates. Como se já não bastasse o baixo desempenho, não marcou nenhum gol e sofreu cinco. Tal performance coloca a equipe na vice-lanterna da Terceirona ao atuar fora de casa, ficando à frente apenas do Brasil de Pelotas. 

“Na teoria, dizem q o jogo será fácil, mas na prática não tem isso no futebol. As equipes se impõe e lutam, aí sim tornam as coisas mais fáceis. Será um jogo difícil, mais uma guerra. Vejo nossa equipe no caminho certo. Todos estão unidos. E não falo só do nosso elenco, mas a torcida também está com a gente. É muito importante ter eles nos apoiando. Contamos com apoio deles. Tenho certeza que vão lotar a Curuzu, que é a nossa casa, para que possamos sair com a vitória", finalizou.


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS