Diário Online
Notícias / Notícias Brasil
ALERTA!

Queda de vacinação deve "ressuscitar" doenças; confira!

Apesar de gratuitas, seguras e eficazes, a imunização ficou em apenas 75% no Brasil ano passado.

quarta-feira, 29/09/2021, 12:44 - Atualizado em 29/09/2021, 12:52 - Autor: Com informações de Viva Bem UOL


. Em 2020, foram confirmados 8.448 casos de sarampo.
. Em 2020, foram confirmados 8.448 casos de sarampo. | Jader Paes/ Ag. Pará

O Brasil não atingiu nenhuma das metas de cobertura das vacinas infantis disponíveis pelo Programa Nacional de Imunização (PNI ) em 2020. Apesar de gratuitas, seguras e eficazes, a imunização ficou em apenas 75% no ano passado, bem longe do  ideal, que são taxas acima de 90%. A queda abre precedentes para que doenças já erradicadas do país ressuscitem

A vacinação infantil é obrigatória no Brasil, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). No caso do Bolsa Família, por exemplo, a não vacinação das crianças leva à suspensão do benefício. Veja aqui o calendário completo do Ministério da Saúde.

Homem surta e atira na testa de Jesus; veja o vídeo!

O índice de vacinação brasileiro regrediu, no ano passado, a taxas de cobertura similares a dos anos 1980. A pandemia é apenas um dos fatores que explicam o fenômeno, já que a cobertura vacinal cai há pelo menos seis anos.

O documento "Panorama da Cobertura Vacinal no Brasil", do IEPS (Instituto de Estudos para Políticas de Saúde), lançado em maio, diz que "o Brasil e o mundo têm visto as vacinas se tornarem vítimas de seu próprio sucesso."

"A percepção de baixo risco por conta do enorme declínio na prevalência e/ou erradicação de doenças imunopreveníveis e o aumento da preocupação com a segurança e confiabilidade das vacinas têm levado a uma redução na cobertura vacinal e ao surgimento de surtos de doenças", mostra o relatório.

Doenças de volta

O melhor exemplo disso ocorreu com o retorno do sarampo, que reapareceu após anos de erradicação. "Ele voltou por causa das baixas coberturas vacinais", afirma Renato Kfouri, presidente da  Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

A proteção contra a doença está incluída na vacina tríplice viral, que protege também contra caxumba e rubéola. Ela é dada de forma gratuita em duas doses pelo Sistema Único de Saúde (SUS ) nos postos de saúde.

Em 2016, a Organização Mundial de Saúde (OMS ) conferiu ao Brasil o certificado de erradicação da doença. Três anos depois, o país perdeu a certificação.

Siga alerta! Covid-19 afeta pulmões de diversas formas

Em 2019, o país registrou 20.901 casos da doença. Em 2020, foram confirmados 8.448 casos de sarampo. "Hoje estamos com circulação ativa do vírus do sarampo, que segue agora ampliando. Os números caíram no último ano não pela vacinação, mas pelas medidas não farmacológicas contra a covid-19", completa.

Uma das preocupações dos pesquisadores é que, com o paulatino retorno às atividades normais com o avanço da vacinação contra a covid-19, outras doenças transmissíveis devem fazer mais vítimas.

A queda da cobertura da pólio chama a atenção do presidente da SBIm. Nos últimos seis anos, a cobertura da vacina caiu de patamares acima de 95% e ficou em 76% em 2020. Nas regiões Norte e Nordeste, essas coberturas foram ainda menores: em 65% e 72%, respectivamente.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS