Diário Online
Notícias / Notícias Brasil
PELO SUS

Cirurgia de sucesso: gêmeos unidos pela cabeça são separados

Arthur e Matheus nasceram unidos pelo crânico e após nove cirurgias foram separados. Os procedimentos foram garantidos pelo SUS

terça-feira, 02/08/2022, 13:38 - Atualizado em 02/08/2022, 13:38 - Autor: Com informações de Viva Bem UOL

Google News

Hospital onde a separação foi feita virou referência na América Latina
Hospital onde a separação foi feita virou referência na América Latina | Reprodução/TV Globo

A craniopagia é uma condição rara no mundo inteiro. É caracterizada quando duas crianças (irmãos gêmeos) nascem unidas (grudadas) pelo crânio. As chances disto acontecer é de uma em cada 2,5 milhões de bebes nascidos, estima a ciência.

Sespa confirma primeiro caso de varíola dos macacos no Pará

Esta semana, a separação dos gêmeos Arthur e Matheus, que nasceram unidos pela cabeça, tornou-se conhecida no mundo inteiro graças ao sucesso das cirurgias, estudos e procedimentos feitos para garantir a separação dos irmãos.

 

Tratamento para separar os gêmeos Arthur e Matheus levou 4 anos
Tratamento para separar os gêmeos Arthur e Matheus levou 4 anos | Reprodução/TV Globo
 

Detalhe: todas as nove cirurgias feitas foram custeadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e acompanhadas pelo especialista britânico Owasi Jeelani que deu assistência a equipe do neurocirurgião Gabriel Mufarrej. Todo o processo levou quatro anos.

O atendimento dos meninos foi no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, que, a partir de agora, é uma referência na América Latina para futuras cirurgias de separação de gêmeos unidos pelo crânio.

Os pais dos meninos, Adriely Lima e Antonio Alves Batista, já tinham duas filhas antes dos gêmeos. Eles perceberam que havia algo errado com os meninos durante o pré-natal, por meio do exame de ultrassom. 

"Eles falaram que era uma coisa estranha. Uma cabeça com dois corpos", contou Batista, em entrevista ao Fantástico, da TV Globo.

 

No total, os meninos foram submetidos a 9 cirurgias
No total, os meninos foram submetidos a 9 cirurgias | Reprodução/TV Globo
 

Segundo os médicos, Arthur e Bernardo compartilhavam cerca de 15% de seus cérebros e dividiam também uma veia extremamente importante, que conduzia o sangue de retorno aos corações dos dois.

Dez meses após ter gêmeos, mulher dá à luz trigêmeos

Gêmeos nascem mesmo sem bolsa "estourar"; veja as fotos!

A primeira cirurgia era de alto risco. As demais foram realizadas com intervalos de três a quatro meses para que os médicos pudessem desconectar, aos poucos, a veia do cérebro de um dos irmãos e, ao mesmo tempo, aguardar o tempo necessário para que o cérebro pudesse recompor as veias do sistema circulatório.

 

Hospital onde a separação foi feita virou referência na América Latina
Hospital onde a separação foi feita virou referência na América Latina | Reprodução/TV Globo
 

Os especialistas criaram modelos dos cérebros das crianças em 3D para poder estudar os caminhos a serem percorridos para separar os gêmeos.

"Eles já passaram por tanta coisa, já sofreram tanto. Eles são muito guerreiros. Nosso coração é só gratidão", disse a mãe dos gêmeos.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS