Notícias / Notícias Pará
ESPECIAL

Santo Antônio: histórias de graças e milagres alcançados

O dia 13 de junho, data em que é comemorado o dia de Santo Antônio, é marcado por simpatias e orações de devotos que desejam encontrar o par perfeito

domingo, 13/06/2021, 07:55 - Atualizado em 13/06/2021, 07:55 - Autor: Paloma Lobato


Imagem ilustrativa da notícia: Santo Antônio: histórias de graças e milagres alcançados
| Reprodução

Santo Antônio é considerado um dos santos mais populares do Brasil e, também, um dos mais importantes do Catolicismo. No país, ficou conhecido como o "Santo casamenteiro",  já que o mesmo ajuda mulheres a encontrarem um marido, por causa do auxílio que dava a moças humildes para conseguirem um dote e um enxoval para o casamento. 

O dia 13 de junho, data em que é comemorado o dia de Santo Antônio, é marcado por simpatias e orações de devotos que desejam encontrar o par perfeito. Entre os rituais mais tradicionais estão colocar uma imagem do santo dentro do congelador ou de cabeça para baixo dentro do guarda-roupas. 

Apesar de querer muito encontrar um amor pra vida toda e ser devota do santo desde muito nova, a bióloga Caroline da Rosa nunca precisou fazer nenhuma simpatia para alcançar a tão sonhada graça de se casar. 

A jovem conta que a família, que é natural de Capanema, no nordeste do Pará, sempre foi muito devota de Santo Antônio. 

"A minha relação com Santo Antônio é muito interessante. A minha família é muito católica. Meu avô, que me criou, o nome dele é Antônio. A minha bisavó era muito devota do santo e deu o nome pra ele. Então, desde muito nova, a gente teve esse carinho, essa afeição por Santo Antônio. Eu cresci na comunidade e participava de todas as festividades do santo", conta. 

Caroline ressalta que a prioridade não era buscar o santo para encontrar alguém, mas que acabou sendo agraciada por ele. A benção foi tão grande, que ela está com o casamento marcado para maio do ano que vem e, é claro, escolheu como cenário do tão esperado "sim" a capela do Pão de Santo Antônio, em Belém.

 

|
 

"Me tornei devota, mas não pensava tanto em casamento. Mas acho que ele ficou com pena de mim e resolveu me desencalhar (risos). Acho que ele pensou 'essa menina é tão devota, vou fazer esse favor pra ela'. Ele me abençoou com um noivo maravilhoso", declara a jovem com muito bom humor.  

Dia especial 

Apesar da fama de "casamenteiro", a relação com Santo Antônio pode ir muito além de um simples rótulo. Poder comemorar o aniversário no mesmo dia que o santo, sem dúvidas, já é um presente divino. E quem compartilha dessa graça é a cabeleireira Edna Antônia Carvalho, que recebeu o nome em homenagem ao padroeiro. 

"Eu nasci no dia de Santo Antônio e desde que me entendo por gente, ele é o meu intercessor. Para mim, não poderia ser uma data melhor. É uma emoção, uma glória ter nascido no dia dele. Para mim é uma emoção sem igual. É uma coisa que brota do coração da gente. A sensação de você ser protegida por aquele santo, de você ser privilegiada no dia dele, é uma emoção muito grande. É uma proteção que eu sinto diariamente. A minha fé nele é em dobro por ter nascido nesse dia", conta.

O amor pelo santo é tão grande, que a profissional construiu um espaço reservado para as imagens de Santo Antônio que ela tem em casa e possui cerca de 35 imagens do padroeiro.

 

|
 

"Eu tenho vários, nem sei quantos. Em cada bolsa minha, eu tenho uma imagem. Como sou muito devota, eu acho que ele tem que tá sempre comigo. Além de ter em casa, o meu salão de beleza também tem uma imagem do santo", revela.

Entre as graças recebidas por Edna está um livramento dado ao marido durante um assalto.

"Nós sofremos um assalto no meu salão e no momento em que o ladrão apontou a arma para o meu marido, eu gritei "meu Santo Antônio, não deixa ele matar o meu marido", e Santo Antônio intercedeu e ele não atirou no meu marido. Graças a Deus, nós ficamos todos salvos, levaram as coisas, mas ficamos. Eu sinto que Santo Antônio segurou a mão dele e fez com que aquele bandido não atirasse no meu marido", conta a cabeleireira.

Cuidado com os seus 

Quem também já viveu uma experiência única com o santo é a autônoma Fernanda Ferreira. A devoção por Santo Antônio começou de uma forma inesperada, em um momento de desespero. 

Há cerca de seis anos, o filho da devota desapareceu. Na época, ele estava no ensino médio e não tinha retornado da escola no horário de costume. Sem receber notícias do filho, o desespero tomou conta de Fernanda. 

"Apesar de gostar das festas e de ser uma pessoa que gosta de santos, eu não era devota de Santo Antônio, mas em um ato de desespero, levantei as mãos para os céus, no meio da rua, em uma vila perto da minha casa e clamei pra Santo Antônio, que ele trouxesse o meu filho pra casa são e salvo de onde quer que fosse, porque eu não aguentava mais o desespero", conta.

O rapaz estava com uma amiga e os dois acabaram se perdendo no Porto da Palha, localizado no bairro da Condor, em Belém. De forma milagrosa, um mototaxista parou para ajudar os dois. Ele levou os jovens para casa e, sem cobrar qualquer valor em troca, ajudou Fernanda a reencontrar o filho.

"Com a graça de Deus, em questão de minutos fui atendida por Santo Antônio. Passou um mototaxista por onde eles estavam e ofereceu ajuda. Ele trouxe eles de graça, são e salvos. Ele desceu da moto, me acalmou, me deu um abraço. Foi coisa de Deus mesmo, coisa de Santo Antônio", relata a autônoma.

 

|
 

A partir da graça alcançada, Fernanda se tornou devota do padroeiro e passou a distribuir pães no dia 13 de junho como forma de agradecimento pelas bençãos recebidas. Entre elas, a aprovação do filho no vestibular.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS