Diário Online
Notícias / Notícias Pará
VEJA O VÍDEO

Casal que agrediu equipe do Diário do Pará presta depoimento

Jornalistas faziam reportagem sobre imprudência no trânsito quando fotografaram a dupla com duas crianças em uma motocicleta e sem capacetes. Equipe foi perseguida e agredida.

terça-feira, 26/07/2022, 11:59 - Atualizado em 26/07/2022, 12:07 - Autor: Com informações de Daniela Condurú/RBATV e Diego Monteiro/Diário do Pará

Google News

Identificados como Arthur e Vitória Cardoso, casal que agrediu equipe de reportagem prestou depoimento
Identificados como Arthur e Vitória Cardoso, casal que agrediu equipe de reportagem prestou depoimento | Reprodução

Uma equipe do Diário do Pará que fazia uma reportagem sobre imprudências do trânsito na avenida Augusto Montenegro, em Belém, foi agredida por um casal na tarde de segunda-feira (25).

As agressões ocorreram próximo do Terminal Maracacuera, no distrito de Icoaraci, depois que a dupla foi flagrada transitando sem capacete e em alta velocidade com duas crianças pequenas, incluindo uma de colo.

Veja também:

Vídeo: raios clareiam o céu de Belém em pleno verão

Calor infernal deve continuar até outubro na Grande Belém

Foi neste momento que a equipe passou a ser perseguida e foi alcançada pelos dois, que atravessaram a motocicleta na frente do veículo, dando início aos ataques.

Um vídeo gravado no interior do automóvel mostra o momento em que o homem manda o repórter e o fotógrafo descerem. Já na lateral do carro, a mulher tentou abrir as portas e exigiu que as fotos fossem apagadas.

 

Flagrante de imprudência no trânsito teria motivado as agressões, de acordo com o motociclista
Flagrante de imprudência no trânsito teria motivado as agressões, de acordo com o motociclista | Wagner Almeida/Diário do Pará
  

“Eu vi que vocês fizeram uma foto da gente. Quero que vocês apaguem a imagem agora. Vocês não vão sair daqui sem antes apagar as imagens”, disse a agressora. Mesmo com um bebê no colo, a mulher bateu com força e por diversas vezes no vidro. “Abre aqui. Desce e vem aqui fora. Tu mesmo que fez as fotos”, continuou nas intimidações.

Como não foram atendidos, o homem quebrou o para-brisa do carro e em seguida fugiu do local às pressas junto com a mulher.

Os jornalistas foram até a Seccional de Icoaraci para a elaboração do Boletim de Ocorrência.

DEPOIMENTO

O casal foi localizado pela guarnição da Polícia Militar do Pará no bairro do Tenoné, em Belém, ainda no final da tarde de segunda-feira (25). Sem resistência, os dois foram conduzidos à delega para prestar depoimentos.

Segundo o major Fábio Campos, do 10º Batalhão da Polícia Militar, eles já aguardavam pela chegada dos agentes de segurança após a grande repercussão do caso na imprensa e nas redes sociais.

Identificados como Arthur Cardoso e Vitória Cardoso, a dupla admitiu a circulação em situação irregular na motocicleta, além de alegar que as agressões contra a equipe de reportagem do Diário do Pará foi provocada em reação à atitude do fotógrafo Wagner Almeida, que fez fotos dos mesmos na ocasião da pauta sobre imprudências no trânsito.

 

Homem desferiu soco no para-brisa do carro da reportagem do Diário do Pará
Homem desferiu soco no para-brisa do carro da reportagem do Diário do Pará | Reprodução
  

"Eu consegui fechar ele (carro de reportagem) e pedi para que abaixasse o vidro para saber o porquê tinham batido foto minha, da minha esposa e dos meus filhos. Não me importo comigo, mas com meus filhos, por eles serem crianças. Eles (jornalistas) não se explicaram e tentaram se evadir quando tentaram dar uma ré", explica.

Arthur, ainda, admitiu a culpa por provocar os danos ao veículo do Diário do Pará e justificou a atitude. "Foi no momento da minha reação, como pai de família. Se meu erro foi esse, eu assumo. Meu erro de ter quebrado o patrimônio, mas foi meu momento de pai de família", comentou.

O casal foi liberado após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelos danos provocados.

VIOLÊNCIA CONTRA A IMPRENSA

Segundo a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), houve um aumento gradual dos casos de violência contra os profissionais da imprensa.

Em 2019, foram 208 episódios de ataques a veículos de comunicação e a jornalistas, um número 54,07% maior do que o de 2018. Em 2021 foram registrados 430 casos do tipo.

Em 2020 foi protocolado o Projeto de Lei 2896/20 que cria um novo tipo penal: constranger profissionais da imprensa, mediante violência ou grave ameaça, de forma a impedir o exercício da profissão.

Nesse caso, a pena prevista é de detenção de seis meses a dois anos e multa, que será aumentada em 1/3 se do fato resultar prejuízo ao trabalho investigativo.

VEJA O VÍDEO:

   

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS