Diário Online
Notícias / Notícias Pará
ALERTA

Paragominas e Bragança monitoram casos suspeitos da varíola

Municípios emitiram comunicados e estão monitorando os casos suspeitos

quarta-feira, 03/08/2022, 23:50 - Atualizado em 03/08/2022, 23:50 - Autor: DOL

Google News

O vírus causa febre, dor de cabeça, dores musculares, exaustão e inchaço dos linfonodos (gânglios linfáticos).
O vírus causa febre, dor de cabeça, dores musculares, exaustão e inchaço dos linfonodos (gânglios linfáticos). | Divulgação/OMS

Ultimamente, diversos países têm registrado casos de pessoas diagnosticadas com "varíola de macaco", doença viral rara causada pelo vírus da varíola símia. O alerta e os cuidados para evitar a contaminação pelo vírus e outras doenças infecciosas precisam ser mantidos pela população. No entanto, nos últimos dias diversos Estados do Brasil registraram a presença da doença.

Na noite desta quarta-feira (03), a Prefeitura de Paragominas, sudeste do Pará, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, confirmou que notificou um caso suspeito de varíola dos macacos no município. 

No mesmo dia, a prefeitura de Bragança, no nordeste paraense, também confirmou que foi notificado sobre um caso suspeito de Monkeypox no município.

Em Bragança, a paciente de 37 anos deu entrada na unidade de Pronto Atendimento (PA), no último domingo (31), com sintomas da doença.

PARAGOMINAS

Na nota, divulgada nas redes sociais da Prefeitura de Paragominas, não há maiores informações, referente sexo ou idade do paciente, de que bairro seria, e quais os sintomas levaram á suspeita de se tratar o vírus.

Varíola dos macacos: Sespa descarta caso suspeito em Belém

Sespa confirma primeiro caso de varíola dos macacos no Pará

Ainda segundo a nota, o caso está sendo investigado pelo setor de Vigilância em Saúde e Epidemiológica Municipal. A amostra foi encaminhada ao laboratório central do Pará (Lacen/PA), para análise.

A Prefeitura  de Paragominas reforça a manutenção das medidas preventivas como o uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento social, bem como em casos suspeitos procurar uma unidade básica de saúde ou a unidade de pronto atendimento.


Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS