Diário Online
INSPIRAÇÃO

Homem dá mercadinho para a mãe da filha e viraliza

Uma jovem de Castanhal mostrou o resultado de uma vendinha montada pelo companheiro para ajudá-la a tirar seu sustento

quinta-feira, 05/05/2022, 22:32 - Atualizado em 05/05/2022, 22:31 - Autor: Com informações do Razões para Acreditar

Google News

Vídeo do pequeno comércio de Anna Monteiro, em Castanhal, já deu o que falar e está fazendo o maior sucesso
Vídeo do pequeno comércio de Anna Monteiro, em Castanhal, já deu o que falar e está fazendo o maior sucesso | Instagram/@anamontt_

A iniciativa do companheiro de uma moça, que recentemente deu à luz, para ajudá-la a manter a própria independência financeira está fazendo sucesso nas redes sociais nessa semana, conquistando especialmente os paraenses que estão ligados nessa história incrível.

Em Castanhal, nordeste paraense, Anna Monteiro conta como o marido construiu um pequeno comércio para que ela pudesse manter o sustento da casa, enquanto pode dar a atenção necessária para seu filho. “Gente, e o pai do meu bebê que simplesmente montou uma vendinha pra mim poder trabalhar?”, compartilha entusiasmada.

“Ela [a vendinha] fica aqui dentro de casa mesmo, de frente pra rua”, conta Anna, que engravidou e não pôde mais trabalhar porque não tem com quem fique com seu filho, que é ainda muito pequeno.

O relato foi compartilhado por Anna no Instagram e já acumula mais de 2 milhões de visualizações, além de inúmeros comentários parabenizando a iniciativa do companheiro da pedagoga e desejando sucesso para o mais novo empreendimento da jovem.

“E, gente, eu tô adorando! Meus óleos, meus ‘colorau’, meus absorventes, meus ovinhos”, diz, encantada. “A gente também vende bolacha, conservas, arroz, feijão, macarrão, azeitona, biscoito, coisas de limpeza”, afirma Anna. “Vendemos uma cachacinha bem gostosa pra quem gosta, eu não gosto, e até umas besteiras, como salgadinhos e bombons”, narra.

“Sabe, é bem simples, mas eu amo muito poder ganhar meu dinheirinho”, completou a comerciante, que ressaltou também, em resposta a um dos comentários em sua publicação, o fato de não ter chamado o marido de “esposo” ou “companheiro”, mas sim de “o Pai do meu bebê”. Ela disse que o marido é, antes de mais nada, o progenitor de sua criança. “Achei importante afirmar isso”, explicou.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS