Diário Online
Notícias / Notícias Pará
VEJA O VÍDEO

Vídeo de mais um macaco morrendo no chão viraliza em Belém

Vídeo que circula nas redes sociais mostra um macaco-de-cheiro que habitaria o Bosque Rodrigues Alves, em Belém, aparentemente agonizando e desorientado no chão, na noite de segunda (13).

terça-feira, 14/06/2022, 08:30 - Atualizado em 14/06/2022, 11:52 - Autor: Adams Mercês/DOL

Google News

O vídeo que circula na internet mostra o animal com dificuldade para caminhar em uma calçada que seria a do Bosque Rodrigues Alves, em Belém.
O vídeo que circula na internet mostra o animal com dificuldade para caminhar em uma calçada que seria a do Bosque Rodrigues Alves, em Belém. | Reprodução

Após as oito mortes de macacos-de-cheiro (Saimiri Sciureus), registradas no início do mês nos arredores do Bosque Rodrigues Alves, em Belém, campanhas de conscientização foram iniciadas para alertar a população sobre os riscos de alimentar os animais que vivem ali.

Mas, ao que parece, ainda não foi possível coibir totalmente a prática danosa à fauna local. Na noite de segunda-feira (13), um vídeo foi compartilhado nas redes sociais mostrando um macaco aparentemente agonizando e desorientado no meio-fio da calçada que cerca o Bosque.

Veja também:

Macacos do Bosque não morreram de raiva ou febre amarela

UFRA investiga causa da morte de macacos do Bosque

No relato de testemunhas, o bicho teria, inclusive, vomitado sangue. Ainda não há confirmação do estado de saúde do animal.

Na última semana, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), informou que o laudo para pesquisa de vírus rábico sobre a morte dos animais da espécie macaco-de-cheiro descartou a presença de vírus amarílico e do vírus rábico nos animais encontrados mortos no Bosque Rodrigues Alves.

 

Campanha visa coibir alimentação de macacos do Bosque, que podem ser intoxicados
Campanha visa coibir alimentação de macacos do Bosque, que podem ser intoxicados | Reprodução/Agência Belém
  

Desta forma, a hipótese de morte dos animais por febre amarela e raiva foi descartada. Os laudos foram emitidos pelo Instituto Evandro Chagas (IEC).

Segundo a Sesma, o órgão ainda aguarda o laudo complementar da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) para confirmação ou exclusão da intoxicação alimentar destes animais.

Veja o vídeo:

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS