Diário Online
Notícias / Notícias Pará
TRABALHO

Pará fecha 1º semestre com quase 25 mil novos empregos

Considerando o mês de julho do ano passado até junho deste ano, foi gerado um saldo positivo de 54.842 empregos com carteira assinada.

sexta-feira, 29/07/2022, 08:14 - Atualizado em 29/07/2022, 10:03 - Autor: Luiza Mello/Diário do Pará

Google News

O Pará se consolida como o 8º Estado do país que mais gerou empregos com carteira assinada
O Pará se consolida como o 8º Estado do país que mais gerou empregos com carteira assinada | Irene Almeida/Diário do Pará

Nos últimos 12 meses, o Estado do Pará apresentou crescimento na abertura de novas vagas de trabalho com carteira assinada em todos os setores da economia avaliados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Considerando o mês de julho do ano passado até junho deste ano, foi gerado um saldo positivo de 54.842 empregos formais. O destaque fica com o setor de serviços, com 17.650 novas vagas, seguido pelo comércio, com 16.498 postos de trabalhos.

Veja também:

Dicas para fugir dos engarrafamentos da BR no fim de semana

Visitas em espaços de Belém crescem com o fim das férias

A construção também teve avanços, considerando principalmente o ano de 2022, com quase nove mil postos criados. A indústria em geral tem saldo positivo de 7.333 vagas e agropecuária com 4.393 postos de trabalhos.

Os dados são do novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem (28) pelo Ministério do Trabalho.

Considerando apenas o mês de junho deste ano, o Estado do Pará apresentou saldo positivo com a geração de quase 10 mil postos de trabalho com carteira assinada. No acumulado do 1º semestre de 2022 foram quase 25 mil novos postos de trabalho.

O Pará se consolida como o 8º Estado do país que mais gerou empregos com carteira assinada, no comparativo entre admitidos e desligados. Mantém sua posição como o maior resultado de toda a região Norte em todos os demais períodos analisados (1º semestre e 12 meses).

Os dados consideram apenas os postos gerados para trabalhadores com carteira assinada, ou seja, não inclui as ocupações informais.

“Com isso, não são comparáveis com os números do desemprego, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (PNAD)”, ressalta relatório elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA) em parceria com o Governo do Estado do Pará, através da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda no projeto Observatório do Trabalho do Estado do Pará.

De acordo com os economistas, os números do Caged são coletados das empresas e englobam dados do setor privado com carteira assinada. Por outro lado, os dados da Pnad são obtidos por meio de pesquisa domiciliar, e abrangem também o setor informal da economia.

JUNHO POSITIVO

Considerando apenas o mês de junho de 2022, no comparativo entre admitidos e desligados, o emprego formal apresentou crescimento no Estado, com saldo positivo de 9.833 postos de trabalhos formais. No mesmo período do ano passado o saldo positivo foi de 11 mil postos de trabalho. No mês passado, o setor que mais gerou empregos foi a construção em geral, com a geração de 3.442 postos de trabalhos, seguido do setor serviços com a geração de 2.920 vagas; e agropecuária com a geração de 1.443 empregos formais.

Considerando o cenário nacional, foram abertos em todo o país, no mês de junho deste ano, 277.944 novos empregos com carteira assinada. Foi o terceiro mês seguido de alta. No acumulado de 2022, o saldo é de 1.334.791 empregos, decorrente de 11.633.347 admissões e de 10.298.556 desligamentos. O resultado, porém, representa queda em relação a junho do ano passado, quando foram criadas 317.812 vagas formais. Todos os setores tiveram saldo positivo no mês passado, sendo que a área de serviços foi a que mais abriu postos, com 124.534 novos contratos.

Conteúdo Relacionado

4 Comentário(s)
    Exibir mais comentários
    MAISACESSADAS